Sindfort convoca para ato na Prefeitura em defesa do reajuste salarial

 O Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindfort) está convocando a categoria para um ato público em repúdio à posição da Prefeitura da Prefeitura de Fortaleza de não conceder qualquer reajuste salarial, em 2017. Na última da reunião da Mesa Central de Negociação, realizada dia 30 de maio, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) afirmou que, por conta da crise econômica, não poderá conceder reajuste salarial e nem mesmo a reposição da inflação. A data base dos servidores municipais foi em 1º de janeiro e a categoria reivindica um reajuste de 13,60%

 O Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindfort) está convocando a categoria para um ato público em repúdio à posição da Prefeitura da Prefeitura de Fortaleza de não conceder qualquer reajuste salarial, em 2017. Na última da reunião da Mesa Central de Negociação, realizada dia 30 de maio, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) afirmou que, por conta da crise econômica, não poderá conceder reajuste salarial e nem mesmo a reposição da inflação. A data base dos servidores municipais foi em 1º de janeiro e a categoria reivindica um reajuste de 13,60%
 O Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindfort) está convocando a categoria para um ato público em repúdio à posição da Prefeitura da Prefeitura de Fortaleza de não conceder qualquer reajuste salarial, em 2017. Na última da reunião da Mesa Central de Negociação, realizada dia 30 de maio, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) afirmou que, por conta da crise econômica, não poderá conceder reajuste salarial e nem mesmo a reposição da inflação. A data base dos servidores municipais foi em 1º de janeiro e a categoria reivindica um reajuste de 13,60% (Foto: Fatima 247)

Ceará 247 - O Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindfort) está convocando a categoria para um ato público em repúdio à posição da Prefeitura da Prefeitura de Fortaleza de não conceder qualquer reajuste salarial, em 2017.  Em reunião da Mesa Central de Negociação , realizada dia 30 de maio, no Paço Municipal, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) afirmou que, por conta da crise econômica, não poderá conceder reajuste salarial e nem mesmo a reposição da inflação para os servidores municipais. 

A data base dos servidores municipais foi em 1º de janeiro e para recuperar perdas salariais e ter algum ganho real, os servidores reivindicam reajuste de 13,60%. Entre servidores ativos e aposentados, o município conta com quase 40 mil pessoas.

Ontem (31/5) em assembleia geral realizada na sede do Sindifort, os servidores decidiram que esta proposta é inaceitável e que haverá mobilização e ato de protesto com concentração às 8h em frente ao Paço Municipal, na terça-feira, 13 de junho. 

Na reunião com a Prefeitura, a direção do Sindifort contestou as informações apresentadas pelo prefeito e seus auxiliares e afirmou que segundo dados apresentados pela própria Prefeitura por meio do Portal da Transparência, seria possível conceder reajuste sem comprometer o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal para os municípios.

A pauta da Campanha Salarial de 2017 foi entregue em 9 de dezembro de 2016. Desde então, Roberto Cláudio vem cozinhando em banho maria as negociações sobre o reajuste salarial. Agora, quase no meio do ano, disse que não fará nem a reposição das perdas com a inflação, mesmo deixando a possibilidade de voltar a falar no assunto daqui quatro meses.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247