Sindiposto diz que Procon busca holofote e vai recorrer de decisão

Advogado do Sindiposto afirma que sindicato vai recorrer da decisão judicial em reduzir o preço dos combustíveis; "tivemos uma certa intransigência do Procon. Parece que buscam a mídia, mais publicidades com esta ação", disse; ele salienta que não houve comprovação de preços abusivos e práticas ilícitas por parte dos postos

Advogado do Sindiposto afirma que sindicato vai recorrer da decisão judicial em reduzir o preço dos combustíveis; "tivemos uma certa intransigência do Procon. Parece que buscam a mídia, mais publicidades com esta ação", disse; ele salienta que não houve comprovação de preços abusivos e práticas ilícitas por parte dos postos
Advogado do Sindiposto afirma que sindicato vai recorrer da decisão judicial em reduzir o preço dos combustíveis; "tivemos uma certa intransigência do Procon. Parece que buscam a mídia, mais publicidades com esta ação", disse; ele salienta que não houve comprovação de preços abusivos e práticas ilícitas por parte dos postos (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás 247- O Sindiposto quer derrubar a liminar sobre retorno do preço dos combustíveis. É esta a afirmação do advogado do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Goiás (Sindiposto), Adilson Ramos Jr., que deixou claro que o sindicato recorrerá da decisão judicial, estipulada na última semana.

Ele afirmou que o sindicato mostrou boa fé e trouxe para o consumidor uma prática de concorrência legal e constitucional. Ele ainda salienta que não houve comprovação de preços abusivos e práticas ilícitas.

"Tivemos uma certa intransigência do Procon. Parece que o Procon busca a mídia, mais publicidades com esta ação", disse em entrevista a rádio CBN Goiás, desta segunda-feira (10).

Na última sexta-feira (07), Os fiscais da superintendência visitaram 97 estabelecimentos demandados na Ação Civil Pública para constatar se a decisão judicial está sendo cumprida. No total, 26 postos cumpriram integralmente a decisão. Trinta e sete reduziram os preços, mas não comprovaram se a redução equivale aos preços praticados antes do aumento.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email