Sinicon cobra retorno ao trabalho na Refinaria

Através de uma nota, o Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada e Infraestrutura reiterou a necessidade da volta imediata dos trabalhadores às obras do empreendimento e do Polo Petroquímico; funcionários reclamam do corte nos salários pelos dias paralisados

Sinicon cobra retorno ao trabalho na Refinaria
Sinicon cobra retorno ao trabalho na Refinaria (Foto: Petrobras/Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Raphael Coutinho _PE247 – Após mais um dia de paralisação dos trabalhos nas obras da Refinaria Abreu e Lima e do Polo Petroquímico, em Suape, o Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada e Infraestrutura (Sinicon) se manifestou por um “desfecho pacífico” da situação. Por meio de nota, a entidade destacou que se faz necessário o retorno dos operários ao canteiro. No entanto, apesar de terem chegado a um acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplenagem (Sintepav-PE) para reajustes no salário e no vale alimentação, o desconto nos dias de paralização continuam sendo um entrave.

A Justiça havia declarado o movimento ilegal, autorizando o desconto em folha dos dias de paralisação. Por outro lado, os trabalhadores não querem ter os 11 dias em que permaneceram de braços cruzados descontados no salário. Isso gerou mais um protesto nesta segunda-feira (13). Por este motivo, o Sinicon emitiu uma nota reiterando a “necessidade de retorno imediato dos trabalhadores ao serviço”. O Sintepav-PE, entretanto, já informou que caso não haja o cancelamento no desconto dos dias paralisados, os trabalhadores não irão retornar ao trabalho.

Confira, abaixo, a nota na íntegra

“O Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada e Infraestrutura (Sinicon) reafirma sua posição de busca do desenvolvimento normal das atividades nos canteiros de obras da Refinaria Abreu Lima e Polo Petroquímico de Suape, reiterando a necessidade de retorno imediato dos trabalhadores aos serviços, em obediência, inclusive, à decisão judicial prolatada no último dia 07 de agosto.

As afirmações do SINTEPAV-PE no sentido de adoção de medidas para a expansão dos movimentos paredistas em outras obras do PAC no Estado denotam postura totalmente contrária ao fim dos conflitos e à busca da solução que termine com a greve em andamento, já declarada abusiva pelo Tribunal Regional do Trabalho em Pernambuco (TRT-PE).

O SINICON reafirma seu comprometimento com o desfecho pacífico e ordeiro da situação ora instalado nos canteiros de obras, contando com a atuação do Poder Público para a garantia da ordem pública e da paz para toda a sociedade.

Sindicato das Indústrias da Construção Pesada – Sinicon”

Leia mais:

Nova paralisação na Refinaria Abreu e Lima

O Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplenagem (Sintepav-PE) orientou trabalhadores da Refinaria Abreu e Lima a baterem o ponto e, em seguida, continuarem de braços cruzados. Os funcionários estão distribuindo panfletos que os outros colegas de trabalho sigam tal recomendação, com o objetivo de não ter ponto de corte salarial em relação aos 11 dias de greve.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email