Sinteal diz não ter sido notificado e mantém greve

Apesar de considerada ilegal e abusiva pelo Tribunal de Justiça, a greve dos professores da rede pública de Maceió está mantida; segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (Sinteal), ainda não houve notificação; opção pela greve foi tomada porque os professores municipais não terão reajuste salarial

Apesar de considerada ilegal e abusiva pelo Tribunal de Justiça, a greve dos professores da rede pública de Maceió está mantida; segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (Sinteal), ainda não houve notificação; opção pela greve foi tomada porque os professores municipais não terão reajuste salarial
Apesar de considerada ilegal e abusiva pelo Tribunal de Justiça, a greve dos professores da rede pública de Maceió está mantida; segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (Sinteal), ainda não houve notificação; opção pela greve foi tomada porque os professores municipais não terão reajuste salarial (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - Apesar de considerada ilegal e abusiva pelo desembargador Fernando Tourinho de Omena Souza, a greve dos professores da rede pública de Maceió está mantida. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (Sinteal), um ato será realizado na manhã desta segunda-feira (24), na Praça Deodoro, no Centro de Maceió. 

A presidente do Sinteal, Maria Consuelo Correia, afirmou que o sindicato não foi notificado oficialmente sobre a decisão. "O que nós ficamos sabendo foi através das notícias veiculadas na mídia. Nós estamos indignados com a postura do prefeito de Maceió. Ele é quem está sendo ilegal, pois diz que não pode dar o aumento por conta da Lei de Responsabilidade Fiscal, mas descumpre as Leis do Fundeb, da Valorização dos Professores e do Piso Salarial", disse Consuelo Correia. 

De acordo com ela é inadmissível que os professores não tenham reajuste salarial. "Maceió é a capital com a cesta básica mais cara do país, com um aumento de 16% este ano; é a segunda capital com a passagem de ônibus mais cara do Nordeste; houve um aumento absurdo no preço da gasolina; e ainda acham que não merecemos reajuste?", questionou. 

A sindicalista explicou que, a depender dos encaminhamentos dados pela categoria, uma nova assembleia poderá ser realizada hoje. "Assim como decidimos o início da greve em assembleia, vamos convocar outra para analisar todos os rumos do movimento", fala. 

No pedido de liminar feito à Justiça, a Procuradoria Geral do Município (PGM) argumentou que o Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (Sinteal) não teria cumprido o que determina a legislação, já que não haviam se esgotado as tentativas negociais. Além disso, não houve comprovação de realização de assembleia e do cumprimento do quórum para a deflagração da greve, nem comunicação dos fatos à sociedade, tampouco manutenção de percentual mínimo apto a atender às necessidades da coletividade.

GREVE

Com a proposta de reajuste zero para os servidores da cidade de Maceió, neste ano, os professores da rede municipal da capital se reuniram, no último dia 17, em assembleia extraordinária, e decidiram entrar em greve por tempo indeterminado já a partir desta segunda (24). 

Durante a assembleia, os servidores cobraram uma linha de diálogo permanente com o Poder Executivo da capital para discutir a pauta, bem como uma contraproposta salarial da prefeitura

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247