Solla: malas de Geddel financiariam campanha de ACM Neto em 2018

Em pronunciamento na Câmara dos Deputados nesta terça-feira, o baiano Jorge Solla (PT) criticou "a conivência do prefeito ACM Neto (DEM) com o seu aliado Geddel Vieira Lima (PMDB)", que teve malas de dinheiro apreendidas pela Polícia Federal nesta manhã; "Quem sabe quanto desse dinheiro não era para fazer campanha ano que vem pra tentar fazer ACM Neto governador? Mas o dinheiro sumiu, ACM Neto, sumiu, Geddel. Não vai ter financiamento empresarial pra vocês ano que vem, vai ter é cadeia. Espero que, pela primeira vez, a justiça seja feita", disse Solla

Jorge Solla
Jorge Solla (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - Em pronunciamento na Câmara dos Deputados nesta terça-feira (5), o baiano Jorge Solla (PT) criticou "a conivência do prefeito ACM Neto (DEM) com o seu aliado Geddel Vieira Lima (PMDB)", que teve malas de dinheiro apreendidas pela Polícia Federal nesta manhã.

"Quem sabe quanto desse dinheiro não era para fazer campanha ano que vem pra tentar fazer ACM Neto governador? Mas o dinheiro sumiu, ACM Neto, sumiu, Geddel. Não vai ter financiamento empresarial pra vocês ano que vem, vai ter é cadeia. Espero que, pela primeira vez, a justiça seja feita", disse Solla.

O deputado destacou que "mesmo com as graves provas contra Geddel, ACM Neto não só mantém a aliança política, como premiará o aliado com a Prefeitura de Salvador em 2018", quando provavelmente será candidato a governador da Bahia e deixará seu vice, Bruno Reis (PMDB), comandado a capital baiana por dois anos.

"O prefeitinho de Salvador, o vice dele é de Geddel. Ele quer sair candidato a governador e largar a prefeitura conduzida por um comparsa de Geddel. Grampinho está cada dia mais envolvido com este governo corrupto e seus aliados completamente escancarados na corrupção. As malas de dinheiro de Geddel fazem parte do esquema que tirou uma presidente honesta e colocou esse presidente corrupto", completa Solla.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247