Souto: Wagner "tem temperamento ditatorial"

Candidato do DEM se defendeu dos ataques do governador petista, que disse que ele é "funcionário de família" e que "não tem história própria"; Souto afirmou que Wagner tem "temperamento ditatorial" e que não gosta de ser contrariado; reação de Jaques Wagner, ainda segundo o democrata, "pode ter vindo do reflexo das pesquisas", já que Rui Costa, candidato do PT, tem 15% das intenções de voto, contra 44% do ex-governador do DEM

Candidato do DEM se defendeu dos ataques do governador petista, que disse que ele é "funcionário de família" e que "não tem história própria"; Souto afirmou que Wagner tem "temperamento ditatorial" e que não gosta de ser contrariado; reação de Jaques Wagner, ainda segundo o democrata, "pode ter vindo do reflexo das pesquisas", já que Rui Costa, candidato do PT, tem 15% das intenções de voto, contra 44% do ex-governador do DEM
Candidato do DEM se defendeu dos ataques do governador petista, que disse que ele é "funcionário de família" e que "não tem história própria"; Souto afirmou que Wagner tem "temperamento ditatorial" e que não gosta de ser contrariado; reação de Jaques Wagner, ainda segundo o democrata, "pode ter vindo do reflexo das pesquisas", já que Rui Costa, candidato do PT, tem 15% das intenções de voto, contra 44% do ex-governador do DEM (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - Depois de ser defendido pelo prefeito ACM Neto (DEM), o candidato do DEM ao governo do Estado, Paulo Souto, também se pronunciou sobre os ataques do governador Jaques Wagner (PT), que na terça-feira (2) disse que ele é "funcionário de família" e que "não tem história própria".

Souto afirmou que Wagner tem "temperamento ditatorial" e que não gosta de ser contrariado. A reação de Jaques Wagner, ainda segundo o democrata, "pode ter vindo do reflexo das pesquisas", já que Rui Costa, candidato do PT, tem 15% das intenções de voto, contra 44% do ex-governador do DEM.

Paulo Souto acredita também em "premeditação na atitude do governador", que fez acontecer o episódio às vésperas do aniversário de morte do ex-governador e ex-senador Antônio Carlos Magalhães, nesta quinta-feira (4).

"Agora, neste momento, quando ele está sendo contrariado pelo povo, não pode investir contra o povo, investe de forma pessoal contra os adversários", disse Souto em entrevista ao jornal A Tarde.

O democrata não deixou de provocar Wagner em relação à decisão do governo federal de não considerar mais como prioridade as novas ferrovias previstas no Plano de Investimento e Logística (PIL).

"Estavam previstas para a Bahia as novas ferrovias Salvador-Belo Horizonte e Salvador-Recife. O governo do estado não se pronunciou sobre isso. Isso significa o isolamento econômico de Salvador e região metropolitana, porque as ferrovias atuais o próprio governo anunciou que vai desativar e agora diz que não é mais prioritária a construção dessas novas ferrovias".

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247