STJ adia julgamento de desembargadores da Maet

Superior Tribunal de Justiça (STJ) adiou para o dia 26 de fevereiro de 2015 o julgamento do réus da Ação Penal 690, que trata sobre prática de corrupção no Tribunal de Justiça do Tocantins; relator da ação do Ministério Público Federal, ministro João Otávio de Noronha, aceitou pedido de adiamento feito pela Defensoria Pública da União, que defende um dos réus e que esteve somente dois dias com o processo para apreciação; são 18 denunciados na ação do Ministério Público Federal, entre eles os desembargadores Willamara Leila, Carlos Souza, Liberato Póvoa e Amado Cilton Rosa

Superior Tribunal de Justiça (STJ) adiou para o dia 26 de fevereiro de 2015 o julgamento do réus da Ação Penal 690, que trata sobre prática de corrupção no Tribunal de Justiça do Tocantins; relator da ação do Ministério Público Federal, ministro João Otávio de Noronha, aceitou pedido de adiamento feito pela Defensoria Pública da União, que defende um dos réus e que esteve somente dois dias com o processo para apreciação; são 18 denunciados na ação do Ministério Público Federal, entre eles os desembargadores Willamara Leila, Carlos Souza, Liberato Póvoa e Amado Cilton Rosa
Superior Tribunal de Justiça (STJ) adiou para o dia 26 de fevereiro de 2015 o julgamento do réus da Ação Penal 690, que trata sobre prática de corrupção no Tribunal de Justiça do Tocantins; relator da ação do Ministério Público Federal, ministro João Otávio de Noronha, aceitou pedido de adiamento feito pela Defensoria Pública da União, que defende um dos réus e que esteve somente dois dias com o processo para apreciação; são 18 denunciados na ação do Ministério Público Federal, entre eles os desembargadores Willamara Leila, Carlos Souza, Liberato Póvoa e Amado Cilton Rosa (Foto: Aquiles Lins)

Tocantins 247 - O Superior Tribunal de Justiça (STJ) adiou para o dia 26 de fevereiro de 2015 o julgamento do réus da Ação Penal 690, que trata sobre prática de corrupção no Tribunal de Justiça do Tocantins. São 18 denunciados na ação do Ministério Público Federal, entre eles os desembargadores Willamara Leila, Carlos Souza, Liberato Póvoa e Amado Cilton Rosa. 

O julgamento foi retirado de pauta após a Defensoria Pública da União entrar no caso em defesa de um dos réus que estava realizando defesa própria. As informações são de que a Defensoria argumentou que esteve somente dois dias com o processo para apreciação e o relator da Ação Penal, ministro João Otávio Noronha, pediu à corte especial o adiamento do julgamento para o início do próximo ano, para que o órgão tenha mais prazo para analisar o processo.

Na movimentação processual da APn 690 consta decisão do ministro João Otávio de Noronha dessa terça-feira, 18, onde ele indefere pedido de adiamento do julgamento, sob o argumento que o processo é longo, com muitos réus e levaria o dia todo para ser julgado.

Maet

A Polícia Federal executou a operação Maet no dia 16 de dezembro de 2010. Na data, a corporação cumpriu oito mandados de condução coercitiva e nove mandados de busca e apreensão em cerca de 20 endereços em Palmas e Araguaína, todos expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça.

Na época, a operação apreendeu 375 mil reais em dinheiro, veículo, computadores, "pen drives", documentos diversos, como escrituras e recibos, 5 armas de fogo e munições.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247