Sul de Minas recebe maior feira do agronegócio do café no Brasil

São esperadas 22 mil pessoas no evento; Os participants poderão também se inscrever em minicursos gratuitos oferecidos pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) em parceria com a Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Três Pontas (Cocatrel)

São esperadas 22 mil pessoas no evento; Os participants poderão também se inscrever em minicursos gratuitos oferecidos pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) em parceria com a Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Três Pontas (Cocatrel)
São esperadas 22 mil pessoas no evento; Os participants poderão também se inscrever em minicursos gratuitos oferecidos pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) em parceria com a Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Três Pontas (Cocatrel) (Foto: Luis Mauro Queiroz)

Agência Minas - A cidade de Três Pontas vai sediar, nesta semana, a 18ª edição da Expocafé, maior feira do agronegócio do café no Brasil. A partir desta quarta-feira (1/7), até sexta-feira (3/7), os visitantes terão a oportunidade de conhecer as principais novidades e tecnologias para o setor.

São esperadas 22 mil pessoas no evento. Os participants poderão também se inscrever em minicursos gratuitos oferecidos pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) em parceria com a Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Três Pontas (Cocatrel).

A programação inclui exposição de produtos e serviços para o manejo do café. Serão 150 estandes instalados na fazenda experimental da Epamig, localizada na MG 167. Técnicos da empresa de pesquisa vão demonstrar o funcionamento de máquinas e implementos.

O objetivo é melhorar a renda e a qualidade de vida do produtor rural, dando impulso à geração de empregos no setor. Na edição 2014 foram fechados cerca de R$ 220 milhões em negócios.

Cafeicultor há 30 anos na cidade de Itamogi, no Sul de Minas, João Batista Marques aproveitou edições anteriores para modernizar sua lavoura. “Mecanizar o campo é fundamental para o agricultor, pois contribui para que os pés de café rendam o máximo. Na feira, temos contato com o que há de mais tecnológico para as plantações”, comenta.

Outra preocupação do agricultor é o combate às doenças do campo. Conhecida como “olho-de-pomba”, a cercosporiose tira o sono do cafeicultor João Batista. “A cercosporiose é, de longe, a pior doença. Ela pode destruir o pé e diminui bastante a produtividade”.

Ciente do problema, a Epamig vai abordar esse e outros males do campo no “Ciência Móvel”, ônibus transformado em laboratório que vai estacionar em Três Pontas durante toda Expocafé. João Batista e os demais cafeicultores receberão informações para o combate e controle das pragas na lavoura, protegendo assim a produção.

A feira é uma realização entre o Governo do Estado, Cocatrel e Epamig.  

Minas Gerais e o Café

A safra de Minas Gerais prevista para 2015 é de 23,3 milhões de sacas, equivalente à metade do que será produzido no Brasil. De janeiro a maio deste ano, a exportação de café rendeu R$ 1,6 bilhão aos agricultores mineiros. São mais de um milhão de hectares plantados e quatro milhões de empregos diretos e indiretos gerados no estado pela agricultura do café.

6º Simpósio de Mecanização da Lavoura Cafeeira

Pesquisadores, professores universitários, técnicos e cafeicultores se reúnem na fazenda experimental da Epamig, nesta terça-feira (30/6), para discutir sobre tecnologia e produção mecanizada do café. O simpósio antecede a Expocafé e é uma oportunidade para os inscritos fazerem intercâmbio de informações sobre o setor.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247