Supervespas ‘bêbadas’ impressionam britânicos

A abundância de frutas maduras nesta época do ano na Europa promove um fenômeno insólito: vespas consomem néctares fermentados e ficam literalmente bêbadas e mais “ousadas” do que de costume

Super vespas bêbadas
Super vespas bêbadas (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik News - Conforme especialistas, devido à abundância de frutas maduras nesta época do ano, muitas vespas consomem seus sucos fermentados, ficando "embriagadas e superousadas".

Os britânicos estão enfrentando uma "invasão" por milhões de vespas germânicas (Vespula germanica) terem migrado para o país, relata jornal Metro. Insetos desta espécie são maiores do que as vespas comuns e acredita-se que sejam mais agressivas, sendo capazes de dar uma picada muito mais dolorosa.

Estas vespas vivem em colônias que podem conter até 10.000 insetos e podem enviar instantaneamente sinais de alarme, fazendo com que toda a colmeia ataque o intruso.

Os insetos podem com frequência ficar bêbados quando consomem frutos fermentados, que há em abundância em jardins britânicos durante os meses de agosto e setembro.

Os tabloides do Reino Unido têm relatado sobre um homem do condado de Dorset que foi "significativamente picado" ao tentar destruir um ninho de vespas em seu jardim usando um lança-chamas. Outro infortunado incendiou o telhado de sua casa ao usar um maçarico tentando se livrar de uma colônia destes insetos.

Entretanto, outro homem desencadeou uma emergência de grande escala, também em Dorset, tendo lançado uma bomba de fumaça dentro de casa.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email