Tarso defende afastamento preventivo de Vaccari

Ex-governador do Rio Grande do Sul defendeu que a direção do partido afaste de forma preventiva o tesoureiro João Vaccari Neto, caso este insista em permanecer no cargo; Vaccari está entre os investigados na Operação Lava Jato; "Se ele foi denunciado, e se a denúncia foi aceita como é a informação que nós temos, o partido deve pedir para que ele se afaste e, se ele não se afastar, afastá-lo preventivamente", disse Tarso Genro

Ex-governador do Rio Grande do Sul defendeu que a direção do partido afaste de forma preventiva o tesoureiro João Vaccari Neto, caso este insista em permanecer no cargo; Vaccari está entre os investigados na Operação Lava Jato; "Se ele foi denunciado, e se a denúncia foi aceita como é a informação que nós temos, o partido deve pedir para que ele se afaste e, se ele não se afastar, afastá-lo preventivamente", disse Tarso Genro
Ex-governador do Rio Grande do Sul defendeu que a direção do partido afaste de forma preventiva o tesoureiro João Vaccari Neto, caso este insista em permanecer no cargo; Vaccari está entre os investigados na Operação Lava Jato; "Se ele foi denunciado, e se a denúncia foi aceita como é a informação que nós temos, o partido deve pedir para que ele se afaste e, se ele não se afastar, afastá-lo preventivamente", disse Tarso Genro (Foto: Paulo Emílio)

Rio Grande do Sul 247 - O ex-governador do Rio Grande do Sul Tarso Genro (PT) defendeu que a direção do partido afaste de forma preventiva o tesoureiro João Vaccari Neto caso este insista em permanecer no cargo.

Vaccari está entre os investigados na Operação Lava Jato, que investiga casos de desvios e corrupção na Petrobras."Se ele for denunciado, e se a denúncia foi aceita como é a informação que nós temos, o partido deve pedir para que ele se afaste e, se ele não se afastar, afastá-lo preventivamente", disse Genro.

Nos últimos dias, Vaccari vem sendo pressionado por diversos membros do PT para se afastar do cargo até que os fatos sejam devidamente esclarecidos. O tesoureiro, entretanto, já adiantou que não possui intenções de se afastar e que pretende prestar depoimento à CPI da Petrobras no exercício das suas funções junto ao partido.

Tarso Genro disse, ainda, que o PT precisa passar por uma "renovação profunda", além de ter que se adaptar ao "novo ciclo econômico e social do país". Segundo ele, é preciso fazer "uma profunda revisão dos pressupostos éticos e políticos que fizeram parte do próprio nascimento do partido".

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247