Tasso corta asas de Doria, critica discurso de ódio e diz: Alckmin é o candidato

"Alckmin é uma das lideranças mais importantes do partido há muito tempo e é o primeiro da fila", diz o senador Tasso Jereissati (PSDB-MG), que afirma que, se não houver consenso, o candidato tucano será escolhido por meio de prévias; como o prefeito João Doria promete não disputar prévias contra seu padrinho Geraldo Alckmin, tudo indica que o governador paulista será mesmo o candidato do PSDB à presidência da República em 2018; Tasso também criticou o discurso de ódio que vem sendo promovido por Doria nos últimos meses; "essa política de nós contra eles é um desserviço para o Brasil. Além de dividir, traz violência, desrespeito e intolerância. É um péssimo sinal para democracia", afirmou

"Alckmin é uma das lideranças mais importantes do partido há muito tempo e é o primeiro da fila", diz o senador Tasso Jereissati (PSDB-MG), que afirma que, se não houver consenso, o candidato tucano será escolhido por meio de prévias; como o prefeito João Doria promete não disputar prévias contra seu padrinho Geraldo Alckmin, tudo indica que o governador paulista será mesmo o candidato do PSDB à presidência da República em 2018; Tasso também criticou o discurso de ódio que vem sendo promovido por Doria nos últimos meses; "essa política de nós contra eles é um desserviço para o Brasil. Além de dividir, traz violência, desrespeito e intolerância. É um péssimo sinal para democracia", afirmou
"Alckmin é uma das lideranças mais importantes do partido há muito tempo e é o primeiro da fila", diz o senador Tasso Jereissati (PSDB-MG), que afirma que, se não houver consenso, o candidato tucano será escolhido por meio de prévias; como o prefeito João Doria promete não disputar prévias contra seu padrinho Geraldo Alckmin, tudo indica que o governador paulista será mesmo o candidato do PSDB à presidência da República em 2018; Tasso também criticou o discurso de ódio que vem sendo promovido por Doria nos últimos meses; "essa política de nós contra eles é um desserviço para o Brasil. Além de dividir, traz violência, desrespeito e intolerância. É um péssimo sinal para democracia", afirmou (Foto: Leonardo Attuch)

SP 247 – Se quiser concorrer à presidência da República em 2018, o prefeito de São Paulo, João Doria Júnior, terá que sair do PSDB.

A sinalização foi dada pelo presidente interino do partido, Tasso Jereissati (PSDB-CE), em entrevista ao jornalista Pedro Venceslau, publicada no Estado de S. Paulo.

"Alckmin é o primeiro da fila", disse ele, que também criticou o discurso de ódio que vem sendo promovido por Doria nos últimos meses.

"Essa política de nós contra eles é um desserviço para o Brasil. Além de dividir, traz violência, desrespeito e intolerância. É um péssimo sinal para democracia", afirma.

Ele voltou a defender o mea culpa tucano. "É preciso fazer uma autocrítica. Em alguns setores estamos distantes do que a população quer da política. Temos que ir para a rua e ver onde temos que melhorar. A militância do PSDB está desencantada com a política. A política ainda é a base da democracia."

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247