Taxistas pedem mais segurança ao governador

Mortes de três taxistas em uma única madrugada em Porto Alegre revoltam categoria e resultam em grande protesto na porta da casa do governador do RS neste sábado 30; Tarso Genro recebeu os manifestantes e se comprometeu a avaliar os pedidos feitos pelos profissionais, que pedem mais segurança e novas abordagens nas blitzes da Brigada Militar; polícia investiga as três mortes, mas já dianta que existem indícios de latrocínios, os roubos seguidos de morte

Taxistas pedem mais segurança ao governador
Taxistas pedem mais segurança ao governador
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Redação Sul 21 - Um protesto de taxistas em frente à casa do governador gaúcho Tarso Genro (PT), ocorrido no começo da manhã deste sábado 30, abriu um processo de debate entre o governo e a categoria para qualificar as ações policiais preventivas na noite de Porto Alegre. Mais de cem manifestantes estiveram na casa do governador, localizada no bairro Rio Branco. A mobilização foi motivada após a morte de ao menos três taxistas durante a madrugada.

Segundo o jornal Zero Hora, em 90 minutos, três taxistas foram executados com tiros na cabeça na zona norte da Capital. Depois dos assassinatos de Eduardo Ferreira Haas e Cláudio Gomes, foi confirmado que Edson Roberto Loureiro Borges, cujo corpo foi encontrado à 1h50min na Rua dos Nautas, na Vila Ipiranga, também pertencia à categoria. Pouco mais de meia hora depois, o taxista Eduardo Ferreira Haas, 26 anos, foi encontrado morto com marcas de tiro na cabeça na Rua São Jerônimo, no bairro Passo da Areia. O carro foi localizado às 8h na Rua Mata Bacelar, no bairro Auxiliadora, com manchas de sangue no banco traseiro. O rádio do carro e documentos desapareceram.

No terceiro caso, o corpo de Cláudio Gomes foi achado ao lado do táxi às 3h20min no bairro Mario Quintana. Conforme o delegado Odival Soares, o dinheiro da carteira do taxista sumiu, indicativo que reforça a linha de investigação sobre assalto. As mortes indignaram os colegas. Às 5h45min, cerca de 50 taxistas bloquearam com seus veículos a Avenida Ipiranga, nos dois sentidos, no entorno do Palácio da Polícia Civil. No calor dos protestos, um dos manifestantes convocou o grupo para ir até a casa de Tarso, no bairro Rio Branco.

O grupo foi recebido pelo governador. Na conversa, os taxistas apresentaram reivindicações e sugeriram novos locais e formas de abordagem dos motoristas profissionais nas blitzes realizadas pela Brigada Militar. Tarso Genro afirmou que vai analisar tecnicamente, em conjunto com a cúpula da segurança pública, se as medidas podem contribuir com a diminuição da violência contra taxistas. "Se as barreiras estão sendo feitas em lugares impróprios, tem mudar os lugares das barreiras".

O governador disse ainda que os passageiros dos veículos também devem ser revistados. Depois de analisar as questões, Tarso garantiu que nos próximos dias irá convocar os taxistas para discutir as medidas que serão adotadas. Ao final do encontro, o governador foi aplaudido pelos taxistas e orientou que futuras manifestações aconteçam no Palácio Piratini, para preservar os moradores do bairro.

** Com informações de Zero Hora e Palácio Piratini

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email