TC inspeciona hospital e maternidade

Denúncias de precariedade no atendimento e falta de insumos levou integrantes do Tribunal de Contas do Estado de Alagoas (TCE-AL) a realizar uma inspeção nas instalações do Hospital Geral do Estado (HGE) e na Maternidade Escola Santa Mônica (Mesm); intenção da fiscalização é checar se as obras do hospital e da maternidade foram feitas a contento e se os equipamentos estavam funcionando

Denúncias de precariedade no atendimento e falta de insumos levou integrantes do Tribunal de Contas do Estado de Alagoas (TCE-AL) a realizar uma inspeção nas instalações do Hospital Geral do Estado (HGE) e na Maternidade Escola Santa Mônica (Mesm); intenção da fiscalização é checar se as obras do hospital e da maternidade foram feitas a contento e se os equipamentos estavam funcionando
Denúncias de precariedade no atendimento e falta de insumos levou integrantes do Tribunal de Contas do Estado de Alagoas (TCE-AL) a realizar uma inspeção nas instalações do Hospital Geral do Estado (HGE) e na Maternidade Escola Santa Mônica (Mesm); intenção da fiscalização é checar se as obras do hospital e da maternidade foram feitas a contento e se os equipamentos estavam funcionando (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - Após denúncias de precariedade nos serviços e falta de insumos, integrantes do Tribunal de Contas do Estado de Alagoas (TCE-AL) iniciaram, nesta segunda-feira (28), uma inspeção em unidades de saúde que fazem atendimento a usuários pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Conselheiros e representantes do departamento técnico do órgão visitaram as instalações do Hospital Geral do Estado (HGE) e tinham a pretensão de fazer o mesmo na Maternidade Escola Santa Mônica (Mesm).

O diretor-técnico de engenharia do tribunal, José Rubens, explicou que a intenção da fiscalização é checar se as obras do hospital e da maternidade foram feitas a contento e se os equipamentos estavam funcionando.

"Viemos verificar a estrutura física do HGE em face da reforma feita recentemente. Queremos averiguar se o objetivo da obra foi alcançado. O Tribunal de Contas do Estado de Alagoas, geralmente, faz a análise  dos documentos, mas decidimos verificar in loco se o hospital está funcionando corretamente", informou José Rubens.

Ele acrescentou que a ação foi motivada por denúncias, principalmente as que saem na imprensa com relação à falta de insumos e equipamentos nestas unidades de saúde, que são as mais movimentadas do estado em suas competências.

"Sempre ficamos sabendo de falta de material e atendimento precário, então decidimos vir de surpresa para realmente verificar isso", explicou o diretor-técnico. Além dele, também acompanharam a inspeção uma médica e uma assistente social que estavam a serviço do tribunal.

"Foi uma demanda que partiu dos conselheiros para que viéssemos verificar as condições médicas no HGE. O hospital atende todo o estado, a demanda é grande e temos excelentes profissionais, mas queremos verificar as condições dos leitos e dos pacientes", comentou a médica Soraya de Mendonça.

A imprensa não pode acompanhar o trabalho executado pela equipe do Tribunal de Contas. Um relatório será produzido e avaliado pelos conselheiros.

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247