Técnicos da Taurus vão analisar armas da PM

Todas as metralhadoras do mesmo modelo que matou a soldado Izabelle Pereira, atingida por 17 tiros quando estava de serviço e seguia, junto com a guarnição, para atender a uma ocorrência, vão ser analisadas por técnicos da Taurus; a forma como tudo ocorreu levantou a hipótese de ter ocorrido defeito no equipamento; das 49 metralhadoras da PM alagoana, 40 serão vistoriadas

Todas as metralhadoras do mesmo modelo que matou a soldado Izabelle Pereira, atingida por 17 tiros quando estava de serviço e seguia, junto com a guarnição, para atender a uma ocorrência, vão ser analisadas por técnicos da Taurus; a forma como tudo ocorreu levantou a hipótese de ter ocorrido defeito no equipamento; das 49 metralhadoras da PM alagoana, 40 serão vistoriadas
Todas as metralhadoras do mesmo modelo que matou a soldado Izabelle Pereira, atingida por 17 tiros quando estava de serviço e seguia, junto com a guarnição, para atender a uma ocorrência, vão ser analisadas por técnicos da Taurus; a forma como tudo ocorreu levantou a hipótese de ter ocorrido defeito no equipamento; das 49 metralhadoras da PM alagoana, 40 serão vistoriadas (Foto: Voney Malta)

Alagoas247 - Os técnicos da fabricante de armamentos Taurus chegam a Alagoas nesta quarta-feira (3) para iniciar os trabalhos de análise das armas, utilizadas pela Polícia Militar, de mesmo modelo e calibre da que vitimou a soldado Izabelle Pereira. No total, 49 metralhadoras .40 serão vistoriadas pela equipe.

De acordo com a assessoria de comunicação da Polícia Militar, todas as armas são novas, adquiridas pelo estado em 2012, e já foram recolhidas nos batalhões e reunidas para que possam ser analisadas. No total, estão sendo esperados três técnicos da empresa Taurus.

Conforme afirmou o comandante do Batalhão de Polícia de Radiopatrulha (BPRp), major Cláudio Nascimento, todo o armamento desse modelo adquirido pela Polícia Militar deveria ser travado para efetuar rajada completa, como aconteceu dentro da viatura em que estava a soldado Izabelle.

No Termo de Referência de aquisição da arma, onde constam todas as características do armamento que está sendo comprado, consta que a metralhadora deve ser programada somente para efetuar tiros intermitentes e rajada de tiros limitada – de até dois tiros.

No incidente ocorrido dentro da viatura da Radiopatrulha, a arma disparou 30 tiros, dos quais 17 atingiram a militar, que estava de serviço e seguia, junto com a guarnição, para atender a uma ocorrência. O fato levantou a hipótese de ter ocorrido defeito no equipamento.

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247