Temer pode barrar mais votado à reitoria da UFABC por suposto alinhamento a “ideias petistas”

Candidato à reitoria da Universidade Federal do ABC (UFABC) mais votado nas eleições internas no início de novembro Dácio Roberto Matheus ainda não foi nomeado; caso a tradição fosse seguida, ele teria que ter tomado posse até a primeira semana de fevereiro; no entanto, no dia 8 de fevereiro, o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), estendeu pro tempore (sem prazo) o tempo de gestão do ex-reitor Klaus Capelle, alegando falhas burocráticas no processo conduzido pela UFABC 

Candidato à reitoria da Universidade Federal do ABC (UFABC) mais votado nas eleições internas no início de novembro Dácio Roberto Matheus ainda não foi nomeado; caso a tradição fosse seguida, ele teria que ter tomado posse até a primeira semana de fevereiro; no entanto, no dia 8 de fevereiro, o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), estendeu pro tempore (sem prazo) o tempo de gestão do ex-reitor Klaus Capelle, alegando falhas burocráticas no processo conduzido pela UFABC 
Candidato à reitoria da Universidade Federal do ABC (UFABC) mais votado nas eleições internas no início de novembro Dácio Roberto Matheus ainda não foi nomeado; caso a tradição fosse seguida, ele teria que ter tomado posse até a primeira semana de fevereiro; no entanto, no dia 8 de fevereiro, o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), estendeu pro tempore (sem prazo) o tempo de gestão do ex-reitor Klaus Capelle, alegando falhas burocráticas no processo conduzido pela UFABC  (Foto: Aquiles Lins)

Revista Fórum - O candidato à reitoria da Universidade Federal do ABC (UFABC) mais votado nas eleições internas no início de novembro Dácio Roberto Matheus ainda não foi nomeado. Caso a tradição fosse seguida, ele teria que ter tomado posse até a primeira semana de fevereiro. No entanto, no dia 8 de fevereiro, o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), estendeu pro tempore (sem prazo) o tempo de gestão do ex-reitor Klaus Capelle, alegando falhas burocráticas no processo conduzido pela UFABC.

Reportagem do jornal Diário do Grande ABC deste sábado (3) aponta que o que estaria por trás desse atraso na nomeação do novo reitor seria um suposto alinhamento de Matheus com ideias alinhadas ao PT. “O Diário apurou que chegou ao gabinete da Presidência a informação que Matheus compactuaria com ideias mais alinhadas ao PT e Temer já externou ao ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), estar preocupado com o número de reitores de universidades federais que compactuam com os ideais petistas”, diz.

Com o impasse na nomeação, a comunidade acadêmica está apreensiva. Carta aberta assinada por Maria Caramez Carlotto, presidente da Associação dos Docentes da UFABC, Renata Silva, coordenadora geral do Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Federais do ABC, e Isis Mustafa de Assis, do Diretório Central dos Estudantes da UFABC, cobra que o resultado eleitoral seja respeitado por Temer.

“O atual reitor eleito da UFABC, professor doutor Dácio Matheus, foi escolhido praticamente por unanimidade pelo colégio eleitoral (…). Ele se tornou o primeiro da lista em um cenário em que os dois outros nomes receberam apenas um voto. Diante disso, as entidades representativas dos docentes, técnicos administrativos e alunos da UFABC gostariam de manifestar sua preocupação com a demora da nomeação do professor Dácio Matheus”, escrevem na carta, divulgada, inclusive, em inglês para chamar atenção da comunidade internacional.

Leia abaixo a íntegra da carta

Carta aberta das entidades representativas da UFABC à comunidade universitária e à sociedade brasileira

A Universidade Federal do ABC (UFABC), apesar de jovem, já é um patrimônio da sociedade brasileira. Criada em 2006, a UFABC figura, hoje, entre as melhores universidades do país em todos os rankings nacionais e internacionais. Além da sua comprovada excelência, a UFABC foi primeira universidade do Brasil a propor, antes da legislação nacional, o ingresso de 50% dos seus estudantes por meio de cotas para escola pública, afrodescendentes e indígenas. Por isso, e por outras medidas inovadoras, a UFABC é um símbolo do compromisso das universidades públicas do país com a inclusão social.

É importante frisar que nada disso teria sido possível sem o comprometimento inquestionável e incansável de toda a sua comunidade universitária, formada por docentes, alunos e técnicos-administrativos. É essa comunidade que, hoje, demonstra crescente preocupação com a demora do Ministério da Educação e da Presidência da República, em nomear o novo reitor eleito da Universidade.

Pelas regras vigentes desde a Constituição de 1988, as Universidades federais brasileiras elegem, em um colégio eleitoral formado por pelo menos 70% de docentes, uma lista com três nomes que, através do MEC, encaminha à Presidência da República. Como acontece com outras instituições públicas, se o colégio eleitoral elege majoritariamente um nome, a expectativa é que a decisão seja confirmada pelo MEC e pela Presidência. Entre outros motivos porque a gestão de instituições complexas como essas exige habilidades e qualificações que ninguém melhor do que a comunidade em seu conjunto para avaliar, dado também o profundo conhecimento que tem dos diferentes candidatos.

Nesse sentido, vale notar que o atual reitor eleito da UFABC, professor doutor Dácio Matheus, foi escolhido praticamente por unanimidade pelo colégio eleitoral. Em termos mais precisos, Dácio tornou-se o primeiro da lista em um cenário em que os dois outros nomes receberam apenas um voto. Antes disso, uma ampla e democrática pesquisa não vinculante com as três categorias da universidade – professores, técnicos administrativos e estudantes – também confirmou, por maioria absoluta de votos, a preferência da comunidade universitária pelo nome do professor Dácio Matheus.

Diante disso, as entidades representativas dos docentes, técnicos administrativos e alunos da UFABC gostariam de manifestar sua preocupação com a demora da nomeação do professor Dácio Matheus. Temos convicção de que o MEC e a Presidência da República sabem da importância que a nomeação do professor Dácio Matheus tem para a comunidade universitária da UFABC e, consequentemente, para toda a comunidade universitária nacional e internacional. A autonomia universitária, assim como a democracia, foram valores essenciais para a ciência e a educação ao longo da história, não poderá ser diferente no século XXI.

Maria Caramez Carlotto
Presidenta da Associação dos Docentes da UFABC

Renata Silva
Coordenadora-geral do Sindicado dos Trabalhadores das Universidades Federais do ABC

Isis Mustafa de Assis
Diretório Central dos Estudantes da UFABC

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247