Tensão no Governo foi superada; Valadares Filho pode ser vice de Jackson

O jornalista Diógenes Brayner apresenta em sua coluna na edição desta terça-feira (23) um desenho do atual momento político sergipano; diz que relação entre PT e PMDB melhorou; afirma que até quatro deputados de oposição poderão migrar para a bancada governista; ressalta que, entretanto, maioria não se desvinculou do agrupamento de Edivan e Eduardo Amorim; noticia que Déda está se recuperando bem; informa que Valadares Filho já teria praticamente definido ser o vice de Jackson na disputa de 2014

Tensão no Governo foi superada; Valadares Filho pode ser vice de Jackson
Tensão no Governo foi superada; Valadares Filho pode ser vice de Jackson
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sergipe 247 – Depois de uma semana sem produzir a coluna Plenário (site Faxaju e jornal Correio de Sergipe), por questões de saúde, o jornalista Diógenes Brayner retomou seu trabalho nesta terça-feira (23). Segundo ele, integrantes do PT e PMDB já teriam superado a crise gerada em torno da nomeação de Roberto Bispo para a Codise. O colunista informa que o governador Marcelo Déda (PT) estaria se recuperando bem, inclusive, teria caminhado ontem pelos corredores do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

Brayner ainda noticia que até quatro deputados da oposição já estariam caminhando rumo à bancada governista, mas frisa que boa parte deles não teria se desvinculado do grupo liderado por Edivan e Eduardo Amorim. O jornalista também diz que o deputado federal Valadares Filho (PSB) praticamente definiu sua participação na chapa governista, como vice de Jackson, em 2014.

Confira a coluna na íntegra: 

AGITO DE JACKSON E O PASSEIO DE DÉDA

A tempestade passou na base aliada do Governo. Depois do susto causado por fortes chuvas e trovoadas caídas horas antes da nomeação do engenheiro Roberto Bispo para ocupar a presidência da Codise, provocado pelo mau tempo que escureceu a área através de apenas dois twitters do governador Marcelo Déda (PT).

Todos silenciaram. Até mesmo os que consideravam necessário o retorno de Marcelo Déda ao Governo com certa urgência, quanto segmentos que aconselhavam mais repouso e ampliação da licença governamental, com objetivo de melhores cuidados com a Saúde. O clima clareou com a nomeação de secretários sugeridos por Déda, como Silvio Santos para a Casa Civil, Pedro Lopes, para Governo, e Joélia Santos para a Saúde.

Fortaleceu-se mais com a conquista de até quatro deputados estaduais para a bancada, o que recupera a governabilidade e dá mais condições a uma administração que não esbarre no legislativo. Há um silêncio inclusive sobre a alta de Marcelo Déda, que já estaria em boa condições e readquiriu a disposição.

Ontem à tarde, uma informação sigilosa do Palácio dos Despachos dizia que o governador Marcelo Déda teria dado um passeio por corredores do hospital Sírio Libanês e se debruçado em uma das sacadas, de onde fora fotografado. Não seria alta e não há previsão de reassumir o Governo. Atende a conselho dos médicos, com endosso da família, que deseja vê-lo distante da administração estadual neste momento.

Médicos e familiares, inclusive a primeira dama Eliane Aquino, querem que ele dedique todo o tempo que precisar à recuperação da sua saúde. É isso que Marcelo Déda vem fazendo, até que se ache em condições suficientes para retornar a Sergipe e administrar o Estado, o que naturalmente lhe estressa e, de alguma forma, atinge a doença.

Há conversas por telefone e já se pode dizer que o ambiente hoje no Governo ocorre sem tensão e dentro da boa convivência entre integrantes de partidos que compõem a administração estadual há harmonia e entendimento, para que o governador em exercício Jackson Barreto leve adiante o projeto de Governo traçado por ele e Déda, quando integraram a chapa majoritária em 2010.

Mesmo assim, ainda não dá para avaliar possibilidade de sequelas em razão do que ocorreu na semana passada, com a nomeação de Roberto Bispo para presidência da Codise e uma certa demora na nomeação dos auxiliares indicados por Marcelo Déda.

A oposição não está muito tranquila com o trabalho que vem sendo realizado por Jackson Barreto, pré-candidato a governador nas eleições de 2014. Ele mobiliza politicamente todo o Estado e demonstra que está atraindo lideranças políticas importantes para a base aliada, através de viagens frequentes para inaugurações, onde cita com absoluta fidelidade o nome do governador licenciado Marcelo Déda como autor das obras.

Jackson praticamente conquistou quatro deputados estaduais e fez maioria na Assembléia, coisa que não acontece desde março de 2012. Os deputados que refizeram seus discursos não revelam que assumiram a base governista, mas que passaram a ser independentes, como é o caso do Capitão Samuel, que se mostra aliado em troca de melhoria para militares da Polícia e Corpo de Bombeiros.

A cúpula do PSC pareceu conformada com declarações dos deputados que conversam com o Governo, porque ouviu deles que seria apenas pela governabilidade e sem compromisso para 2014. Também ontem, membros do PSC ligaram para o deputado Gilson Andrade, preocupados com informações de que ele trocaria de partido. Tranquilizaram-se com a resposta de que não deixaria o bloco liderado por Edivan Amorim.

E nesse clima ameno, o governador em exercício Jackson Barreto vai impondo o seu ritmo de Governo, o estilo irrequieto e a movimentação de como se a eleição fosse na próxima semana, sempre acompanhado por Valadares Filho (PSB), que praticamente definiu participar da chapa como candidato a vice-governador em 2014.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247