Thiago Pereira é 6º nos 200m medley

Americano Ryan Lochte venceu a prova e quebrou um jejum de 18 meses na competio; o brasileiro chegou a ficar em terceiro, mas caiu de ritmo e perdeu o pdio no Mundial de Xangai

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O americano Ryan Lochte encerrou um jejum de 18 meses na natação nesta quinta-feira ao quebrar o recorde mundial dos 200 metros medley, o primeiro em piscina de 50 metros depois que a Federação Internacional (Fina) baniu os supermaiôs das competições, no início de 2010. Lochte obteve o feito no Mundial de Esportes Aquáticos de Xangai.

O americano faturou a medalha de ouro ao completar a prova em 1min54s00, superando o recorde anterior, de 1min54s10, registrado por ele mesmo no Mundial de Roma, em 2009. Seu compatriota Michael Phelps ficou com a prata, com 1min54s16, seguido do húngaro Laszlo Cech, com 1min57s69.

O brasileiro Thiago Pereira terminou a prova no sexto lugar, ao marcar 1min59s00. Ele chegou a manter a terceira posição nos primeiros 150 metros, mas caiu de ritmo no nado livre e foi superado pelos rivais nos 50 metros finais da disputa.

Lochte chegou a ser ameaçado por Phelps no primeiro trecho, no nado borboleta, mas assumiu a ponta a partir do costas e liderou a prova até o fim. Phelps acelerou na reta final, sem sucesso, e garantiu sua segunda medalha de prata na competição. Desta forma Lochte obteve sua segunda vitória sobre o compatriota, após levar o ouro também nos 200 metros livre.

Com a nova marca, o americano encerrou um jejum de 18 meses sem recordes na natação mundial, desde que a Fina proibiu o uso de trajes tecnológicos. Antes do veto, os supermaiôs proporcionaram o impressionante número de 200 novas marcas entre 2008 e 2009, em piscinas de 25 e 50 metros. Foram 43 somente no último Mundial, em Roma. Em Xangai, o primeiro recorde foi registrado por Lochte nesta quinta.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email