TJ extingue ação de Doria pedindo internação compulsória em SP

TJSP extingue ação de Doria pedindo internação compulsória em São Paulo; aDoria manobrou no TJSP para que ação caísse com juiz "linha-dura" contra as drogas

doria cracolândia
doria cracolândia (Foto: Charles Nisz)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O Tribunal de Justiça de SP indeferiu o pedido da gestão João Doria para fazer remoções compulsórias de dependentes químicos para avaliação médica. A decisão é uma resposta ao pedido do Ministério Público e da Defensoria Pública. O desembargador Borelli Thomaz extinguiu a ação da prefeitura. Para o desembargador, o pedido feito não tem relação com a ação civil pública de 2012 sobre o tema. A Prefeitura pode recorrer da decisão.

Há um agravante na ideia da Prefeitura em querer internar os dependentes à força. A Prefeitura manobrou para que o caso ficasse com um juíz “linha-dura”. Emílio Migliano Neto, militante antidrogas e deferiu o pedido de Doria.

Para isso, Doria anexou a solicitação num processo sobre a atuação da PM na Cracolândia, um processo sob a tutela de Migliano. Ainda que a manobra não seja ilegal, ela impediu que a análise do caso fosse sorteada e caísse nas mãos de outro juiz. Migliano fez parte de uma organização católica chamada Pastoral da Sobriedade, que desenvolve ações contra as drogas.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247