Todos contra o favorito

Os pr-candidatos Dlio Malheiros (PV), Sargento Rodrigues (PDT) e Leonardo Quinto definem em almoo um discurso nico contra o prefeito Marcio Lacerda (PSB), para impedir sua reeleio. Mas sem mudanas em relao a 2008: o foco vai ser contra o voto de cabresto, a falta de dilogo e o lado empresarial de Lacerda

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 - Um almoço ontem, no bairro Santo Agostinho, zona nobre de Belo Horizonte, selou a união das oposições ao prefeito Marcio Lacerda (PSB). Não é tanta gente, já que o prefeito conseguiu juntar em torno de sua candidatura à reeleição um grupo de quase 20 partidos, incluindo o seu, o PT e o PSDB. Almoçaram ontem os deputados estaduais Délio Malheiros (PV) e Sargento Rodrigues (PDT), além do federal Leonardo Quintão (PMDB).

A união declarada pelos três não significa, claro, candidatura única do grupo. Pelo contrário, eles defenderam mais candidaturas da oposição. O raciocínio é que, com isso, a chance de segundo turno na capital mineira aumenta.

O que ficou combinado é que o adversário maior será Lacerda. Ou seja, que ninguém espere ataques entre as candidaturas da oposição - isso, claro, se não acontecer algo inesperado, como o crescimento de dois desses candidatos, a ponto de ter chances de chegar ao segundo turno, o que levaria certamente a um atacar o outro.

De qualquer modo, por enquanto, o discurso unificado é de ataque ao prefeito. “O povo de Belo Horizonte tem uma consciência política acima da média, não vai se deixar levar pelo voto de cabresto”, disse Délio Malheiros. “Entre nós, não há dificuldades em conversar, do lado de lá é que não”, afirmou o deputado Sargente Rodrigues. Quintão, por sua vez, alegou que Lacerda não seria um bom gestor público. “Pode até ser na iniciativa privada”.

Desse modo, percebe-se que o tom será basicamente o mesmo do de 2008: contra o voto de cabresto (Lacerda, como há quatro anos, será apoiado pelos governos federal e estadual); contra a falta de diálogo na capital, consequência direta da união das maiores forças partidárias em torno de Lacerda; e contra o prefeito como administrador público, enfatizando seu sucesso como empresário privado, sem correlação com a administração da cidade.

Não dá para dizer que a tática deu errado há quatro anos. Quintão, então candidato pelo PMDB, venceu o primeiro turno e, no segundo, chegou a assustar Aécio Neves e Fernando Pimentel, os idealizadores da união PT-PSDB em torno de Lacerda.

Resta saber se dará certo agora, depois de quatro anos de gestão do atual prefeito.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email