Torcedora racista do Grêmio é afastada do trabalho

"Era uma funcionária competente, mas a postura pessoal que ela assumiu vai totalmente contra os nossos princípios de trabalho. É um fato profundamente lamentável", disse o major Régis Reche, chefe do Centro Médico Odontológico da Brigada Militar, onde trabalhava Patrícia Moreira, flagrada pelas câmeras chamando o goleiro do Santos, Aranha, de "macaco" no jogo de ontem; nesta sexta-feira, o árbitro da partida incluiu o episódio na súmula, o que pode resultar em punição para o clube

"Era uma funcionária competente, mas a postura pessoal que ela assumiu vai totalmente contra os nossos princípios de trabalho. É um fato profundamente lamentável", disse o major Régis Reche, chefe do Centro Médico Odontológico da Brigada Militar, onde trabalhava Patrícia Moreira, flagrada pelas câmeras chamando o goleiro do Santos, Aranha, de "macaco" no jogo de ontem; nesta sexta-feira, o árbitro da partida incluiu o episódio na súmula, o que pode resultar em punição para o clube
"Era uma funcionária competente, mas a postura pessoal que ela assumiu vai totalmente contra os nossos princípios de trabalho. É um fato profundamente lamentável", disse o major Régis Reche, chefe do Centro Médico Odontológico da Brigada Militar, onde trabalhava Patrícia Moreira, flagrada pelas câmeras chamando o goleiro do Santos, Aranha, de "macaco" no jogo de ontem; nesta sexta-feira, o árbitro da partida incluiu o episódio na súmula, o que pode resultar em punição para o clube (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A torcedora do Grêmio que foi flagrada pelas câmeras chamando o goleiro do Santos, Aranha, de "macaco" foi afastada do emprego nesta sexta-feira 29. A jovem Patrícia Moreira foi apenas uma das dezenas de torcedores que ofenderam o jogador com comentários racistas no jogo entre Grêmio e Santos na Arena, na noite desta quinta-feira, mas uma imagem pôde identificar claramente seu rosto.

"Conversei com o diretor da empresa, mas não consegui contato com ela. Era uma funcionária competente, mas a postura pessoal que ela assumiu vai totalmente contra os nossos princípios de trabalho. É um fato profundamente lamentável", disse ao jornal Zero Hora o major Régis Reche, chefe do Centro Médico Odontológico da Brigada Militar onde trabalhava Patrícia, como auxiliar de saúde bucal.

O episódio pode agora resultar em punição para o Grêmio, uma vez que o árbitro da partida, Wilton Pereira, incluiu nesta sexta-feira os atos de racismo na súmula do jogo, que será atualizada no site da CBF. Na primeira versão, o fato não foi relatado. De acordo com o procurador do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Paulo Schmitt, "o clube poderá responder por infração ao inciso do artigo 243-G do CBJD".

Caso a procuradoria do STJD denuncie o clube, ele seria enquadrado no artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD): "praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência". A punição pode envolver perdas de mandos de jogo ou mesmo a exclusão da Copa do Brasil. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email