TRE: 40% das contas eleitorais podem ser reprovadas em Teresina

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PI) encontrou irregularidades na prestação nas contas dos candidatos eleitos nas eleições municipais, a maioria delas relacionadas às doações para as campanhas; em Teresina, quase todos os candidatos foram analisados e 40% das contas estão com sugestão para desaprovação, segundo o TRE; em Castelo do Piauí, a 185 Km ao Norte de Teresina, o TRE analisou as contas da campanha do prefeito eleito José Magno Alves e identificou pelo menos 12 doadores com rendas incompatíveis segundo as regras da Justiça Eleitoral, a exemplo de beneficiários do Bolsa Família que doaram R$ 3 mil

Eleições 2014 - Voto em trânsito no IESB, Asa Sul, Brasília. Foto: Marri Nogueira/ Agência Senado
Eleições 2014 - Voto em trânsito no IESB, Asa Sul, Brasília. Foto: Marri Nogueira/ Agência Senado (Foto: Leonardo Lucena)

Piauí 247 - O Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE) encontrou irregularidades na prestação nas contas dos candidatos eleitos nas eleições municipais, a maioria delas relacionadas às doações para as campanhas. Em Teresina, quase todos os candidatos foram analisados e 40% das contas estão com sugestão para desaprovação, segundo o TRE.

Em Castelo do Piauí, a 185 Km ao Norte de Teresina, o TRE analisou as contas da campanha do prefeito eleito José Magno Alves e identificou pelo menos 12 doadores com rendas incompatíveis segundo as regras da Justiça Eleitoral, a exemplo de pessoas desempregadas há mais de 60 dias, beneficiárias do Bolsa Família que doaram R$ 3 mil e um homem com renda de R$ 900 que doou um valor bem superior aos seus proventos.

“Identificamos inconsistências rotineiras como recursos que não passam pela conta de campanha. Verifica-se também que o candidato realiza despesas e não coloca na prestação de contas. Temos indícios ainda de irregularidades quanto a pessoas que doaram e que participam de programas sociais, ou estão desempregadas ou que já morreram”, explicou a coordenadora de Controle do TRE, Raquel Ferro. O relato foi publicado no G1.

Um eleitor que não quis ser identificado, diz que já vinha suspeitando de irregularidades durante a campanha do prefeito. “Em uma comunidade chamada Pedreira, somente na noite anterior a eleição, o candidato gastou quase R$ 40 mil só com compra de votos. Pessoas de lá que hoje não querem falar, por medo de represálias, colocaram isso. Tem B.O registrado na delegacia de uma senhora que teve seu nome e CPF utilizados sem que ela soubesse, como doadora”, disse.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247