Três meses com pauta trancada, vereadores de Palmas entram em recesso

Com a pauta trancada desde o dia 30 de março, os vereadores de Palmas entraram em recesso; de acordo com o vereador, Milton Neris (PP), a pauta estava trancada em função de medidas provisórias de autoria do Poder Executivo que tramitam na Casa de Leis. Só após a apreciação destas matérias é que outros projetos poderão entrar na pauta de votação; a Mesa Diretora da Câmara convocou os parlamentares para uma sessão extraordinária na tarde dessa quinta-feira, mas não houve consenso

Com a pauta trancada desde o dia 30 de março, os vereadores de Palmas entraram em recesso; de acordo com o vereador, Milton Neris (PP), a pauta estava trancada em função de medidas provisórias de autoria do Poder Executivo que tramitam na Casa de Leis. Só após a apreciação destas matérias é que outros projetos poderão entrar na pauta de votação; a Mesa Diretora da Câmara convocou os parlamentares para uma sessão extraordinária na tarde dessa quinta-feira, mas não houve consenso
Com a pauta trancada desde o dia 30 de março, os vereadores de Palmas entraram em recesso; de acordo com o vereador, Milton Neris (PP), a pauta estava trancada em função de medidas provisórias de autoria do Poder Executivo que tramitam na Casa de Leis. Só após a apreciação destas matérias é que outros projetos poderão entrar na pauta de votação; a Mesa Diretora da Câmara convocou os parlamentares para uma sessão extraordinária na tarde dessa quinta-feira, mas não houve consenso (Foto: Leonardo Lucena)

Tocantins 247 - Com a pauta trancada desde o dia 30 de março, os vereadores de Palmas entraram em recesso nessa quinta-­feira (30). De acordo com o vereador, Milton Neris (PP), a pauta estava trancada em função de medidas provisórias de autoria do Poder Executivo que tramitam na Casa de Leis. Só após a apreciação destas matérias é que outros projetos poderão entrar na pauta de votação. 

A Mesa Diretora da Câmara convocou os parlamentares para uma sessão extraordinária na tarde dessa quinta-feira, mas não houve consenso. O presidente da Câmara, Rogério Freitas (PMDB), reforçou que o rito legislativo exige a votação dessas duas medidas provisórias do Executivo que extrapolaram o prazo de tramitação.

Milton Neris, que é oposição ao prefeito Carlos Amastha (PSB), disse que todas as medidas provisórias estão prontas para serem votadas, dependendo apenas dos vereadores aliados para que a pauta seja destrancada. "Ontem foi a última sessão legislativa, a pauta continua trancada por obstrução dos vereadores da base. Nós estamos prontos para votar quando eles quiserem votar”, afirmou Neris ao T1 Notícias.

O parlamentar informou, ainda, que o presidente da Casa, Rogério Freitas (PMDB)m convocou sessões extraordinárias para todo o mês de julho e está marcada para a próxima terça-­feira (5) às 9h, uma reunião para discutir e tentar a votação dos projetos que já estão nas comissões para serem aprovados. “A reunião é das comissões, vamos tentar negociar politicamente e aprontar os projetos que tiverem condições de aprontar”, acrescentou.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247