UFMG: ‘repudiamos de forma veemente a homofobia’

A Universidade Federal Minas Gerais (UFMG) emitiu nota repudiando a agressão ao norte-americano Shane Landry, que há dois anos e meio cursa demografia na instituição, e foi espancando no Centro de Belo Horizonte, junto com um colega; provavelmente foi crime de homofobia; “Condenamos e repudiamos, de forma veemente, qualquer forma de discriminação ou preconceito por orientação sexual ou qualquer ação que fira a dignidade das pessoas”, afirmaram o reitor Jaime Ramírez e a vice-reitora Sandra Almeida

A Universidade Federal Minas Gerais (UFMG) emitiu nota repudiando a agressão ao norte-americano Shane Landry, que há dois anos e meio cursa demografia na instituição, e foi espancando no Centro de Belo Horizonte, junto com um colega; provavelmente foi crime de homofobia; “Condenamos e repudiamos, de forma veemente, qualquer forma de discriminação ou preconceito por orientação sexual ou qualquer ação que fira a dignidade das pessoas”, afirmaram o reitor Jaime Ramírez e a vice-reitora Sandra Almeida
A Universidade Federal Minas Gerais (UFMG) emitiu nota repudiando a agressão ao norte-americano Shane Landry, que há dois anos e meio cursa demografia na instituição, e foi espancando no Centro de Belo Horizonte, junto com um colega; provavelmente foi crime de homofobia; “Condenamos e repudiamos, de forma veemente, qualquer forma de discriminação ou preconceito por orientação sexual ou qualquer ação que fira a dignidade das pessoas”, afirmaram o reitor Jaime Ramírez e a vice-reitora Sandra Almeida (Foto: Leonardo Lucena)

Minas 247 - A Universidade Federal Minas Gerais (UFMG) emitiu nota nesta terça-feira (29) repudiando a agressão ao norte-americano Shane Landry, que há dois anos e meio cursa demografia na instituição, e foi no último sábado (26) espancando no Centro de Belo Horizonte, junto com um colega. Provavelmente foi crime de homofobia. Até o momento, nenhum dos agressores foi identificado. Será aberto um inquérito para apurar se o espancamento tem relação com a homofobia. Vítimas e testemunhas serão convocadas para prestar esclarecimentos sobre a agressão. A polícia deve analisar as câmeras do Olho Vivo para identificar os suspeitos.

“Condenamos e repudiamos, de forma veemente, qualquer forma de discriminação ou preconceito por orientação sexual ou qualquer ação que fira a dignidade das pessoas”, afirmaram o reitor Jaime Ramírez e a vice-reitora Sandra Almeida.

A instituição disse depositar “confiança nas autoridades mineiras, responsáveis pela apuração dos fatos e responsabilização dos culpados”. O relato foi publicado no site Hoje em Dia. Há dois meses, o veículo apontou quea Polícia Civil de Minas investiga pelo menos 167 crimes ligados à homofobia, transfobia e outras intolerâncias de gênero. 

Segundo o estudante norte-americano Shane Landry, de 26 anos, como os agressores não quiseram roubá-los, ele desconfia de crime de homofobia. “Por que estão rindo? Vocês estão rindo demais”, teriam perguntado os suspeitos, que, em seguida, partiram para o espancamento.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247