Usinas de moagem serão reabertas em Pernambuco

Anúncio foi feito pelo governador, Eduardo Campos, no fim de semana; Usinas de Cruangi e Plumaty, fechadas desde 2012, serão reabertas no segundo semestre deste ano; as indústrias, que já chegaram a moer, juntas, cerca de 3 milhões de toneladas de cana, devem começar o período de moagem triturando cerca de 1,2 milhão de toneladas; investimento será de R$ 15 milhões para cada uma, com geração imediata de quatro mil empregos diretos

Anúncio foi feito pelo governador, Eduardo Campos, no fim de semana; Usinas de Cruangi e Plumaty, fechadas desde 2012, serão reabertas no segundo semestre deste ano; as indústrias, que já chegaram a moer, juntas, cerca de 3 milhões de toneladas de cana, devem começar o período de moagem triturando cerca de 1,2 milhão de toneladas; investimento será de R$ 15 milhões para cada uma, com geração imediata de quatro mil empregos diretos
Anúncio foi feito pelo governador, Eduardo Campos, no fim de semana; Usinas de Cruangi e Plumaty, fechadas desde 2012, serão reabertas no segundo semestre deste ano; as indústrias, que já chegaram a moer, juntas, cerca de 3 milhões de toneladas de cana, devem começar o período de moagem triturando cerca de 1,2 milhão de toneladas; investimento será de R$ 15 milhões para cada uma, com geração imediata de quatro mil empregos diretos (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Mariana Almeida, Pernambuco 247 - A usinas de Cruangi e Plumaty, localizadas respectivamente nas cidades de Palmares e Timbaúba (Zona da Mata pernambucana) e fechadas desde 2012, serão reabertas no segundo semestre de 2014. As indústrias, que já chegaram a moer, juntas, cerca de 3 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, devem começar o período de moagem triturando cerca de 1,2 milhão de toneladas. O investimento será de R$ 15 milhões para cada uma, com geração imediata de quatro mil empregos diretos.

Segundo o presidente da Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (AFCP), Alexandre Andrade Lima, a usina de Cruangi deve voltar a funcionar em setembro, enquanto Prumaty voltará às atividades em outubro. "De acordo com os nossos cálculos, os R$ 30 milhões investidos serão recuperados pelo governo em cerca de três anos", afirmou Andrade Lima.

O anúncio foi feito no último final de semana pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), que estava acompanhado do candidato do PSB ao Senado, Fernando Bezerra Coelho, e do secretário da Fazenda, Paulo Câmara, que disputará o governo de Pernambuco. Na próxima terça-feira (11), Bezerra Coelho, Câmara e o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, participarão de um encontro para definir o cronograma e o programa para a reabertura das usinas.

A volta do funcionamento das empresas acontece em um momento crucial para o sertão pernambucano. Com as chuvas começando a voltar para a região, a estimativa é que faltem usinas para moer a matéria-prima. "Provavelmente, no próximo ano, as usinas que estão funcionando atualmente não vão conseguir absorver toda a cana-de-açúcar, fazendo com que sobre matéria-prima", afirmou Alexandre.

A implantação, entretanto, não faz parte da política de combate à seca da região. "A reabertura das usinas faz parte de um programa de incentivo à agricultura", disse o presidente da AFCP. As indústrias vão funcionar a partir de um sistema de cooperativismo. A Plumaty será gerida pelos produtores e pelos atuais proprietários da usina, enquanto a Cruangi será administrada unicamente pelos canavieiros.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email