Valente critica “privilégios para uns, precarização do trabalho para a maioria”

"Temer e Supremo fecham acordo por reajuste de 16,38% a juízes. Enquanto isso, o STF deu aval à terceirização irrestrita. Privilégios para uns, precarização do trabalho para a maioria. E segue o Brasil do privilégio e da desigualdade", afirmou o deputado do Psol-SP

Valente critica “privilégios para uns, precarização do trabalho para a maioria”
Valente critica “privilégios para uns, precarização do trabalho para a maioria” (Foto: LUIS MACEDO)

SP 247 - O deputado federal Ivan Valente (Psol-SP) critico a decisão do Supremo Tribunal Federal em aprovar a terceirização irrestrita. A Corte já havia aprovado um aumento de 16% nos salários dos juízes.

"Temer e Supremo fecham acordo por reajuste de 16,38% a juízes. Enquanto isso, o STF deu aval à terceirização irrestrita. Privilégios para uns, precarização do trabalho para a maioria. E segue o Brasil do privilégio e da desigualdade", escreveu o parlamentar no Twitter.

Com a medida do STF, também ficou liberada a terceirização para as atividades-fim - em uma fábrica de pneus, a atividade-fim é a produção desses produtos. A atividade-meio seria, por exemplo, o serviço de limpeza da fábrica.

Após acordo entre Michel Temer e com o STF, o Judiciário terá o reajuste de 16,38% em 2019, aumentando o teto de R$ 33 mil para R$ 39 mil, em troca do fim do auxílio-moradia para a magistratura federal, no valor de R$ 4,7 mil. 

Segundo cálculos de técnicos da Câmara dos Deputados, o reajuste poderá implicar em mais R$ 930 milhões somente com despesas decorrentes deste aumento, valor que pode chegar a R$ 1,1 bilhão levando em consideração os servidores do Executivo com rendimentos atrelados ao teto do Supremo. O aumento salarial pode gerar um efeito cascata, porque as remunerações da Corte servem de base para todo o Judiciário.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247