Valério atribui a falsário capa de Carta Capital

Publicitário emite nota em que manifesta "perplexidade" sobre reportagem; "foi baseada em documentos e informações falsas", alegou; sem citar o nome do lobista Nilton Monteiro, Valério apontou na direção dele como autor do que diz ser uma falsificação: "pessoa notoriamente conhecido por envolvimento em fraudes"

Valério atribui a falsário capa de Carta Capital
Valério atribui a falsário capa de Carta Capital (Foto: Edição/247)

247 – O publicitário Marcos Valério, por meio de seu advogado, optou por manifestar, em nota à imprensa, "perplexidade com o teor de matéria publicada nesta data pela revista Carta Capital". Ele sustentou que a apuração da reportagem da revista semanal foi "baseada em documentos e informações falsas". Sob a capa "O valerioduto abasteceu Gilmar", a publicação divulgou, entre outros documentos, uma "Declaração para fins de prova judicial ou extrajudicial", que teria sido assinada no 1º Ofício de Belo Horizonte, pelo próprio Marcos Valério, na qual está a admissão de repasse de "R$ 4.500.000,00 para Dr. Eduardo Brandão de Azeredo". A soma, diz a peça, teve como origem recursos oriundos do "BEMGE, CREDIREAL, BANCO RURAL, COMIG, COPASA, LOTERIA MINEIRA, e por intermédio das construtoras ANDRADE GUTIERREZ  e ARG".

Abaixo, a nota assinada pelo advogado do publicitário:

NOTA À IMPRENSA

A defesa de Marcos Valério Fernandes de Souza manifesta sua perplexidade com o teor de matéria publicada nesta data pela Revista Carta Capital. Trata-se, lamentavelmente, de reportagem baseada em documentos e informações falsas. Ao que tudo indica, documentos provavelmente produzidos por pessoa notoriamente conhecida por seu envolvimento em fraudes diversas em Minas Gerais, que recentemente esteve preso acusado de estelionato e que, inclusive, seria beneficiado, de forma no mínimo curiosa, no próprio documento falsificado.

A defesa de Marcos Valério reitera seu respeito e confiança no Poder Judiciário, especialmente no Supremo Tribunal Federal, manifestando seu repúdio a qualquer dúvida que seja levantada sobre a credibilidade, a capacidade jurídica e a imparcialidade do Ministro Gilmar Mendes. Trata-se de magistrado que exerce suas funções de forma exemplar, dignificando seu exercício no Pretório Excelso.

Repita-se: a matéria baseia-se em documentos e informações falsas, cujo teor são veementemente rechaçados por Marcos Valério Fernandes de Souza. Os dois documentos constantes da publicação não foram produzidos ou assinados pelo mesmo, parecendo ser mais uma montagem do conhecido falsário.

Marcos Valério aguarda, com serenidade, o início do julgamento da Ação Penal nº 470 pelo Supremo Tribunal Federal.

Belo Horizonte, 27 de julho de 2012

Marcelo Leonardo

Advogado Criminalista e defensor de Marcos Valério

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247