Vantagens que podem custar caro

Cartes de lojas seduzem com descontos e parcelamentos, mas juros do rotativo podem chegar a 620% ao ano. Facilidade de pagamento, nem sempre oferecida, o que o consumidor mais busca

Vantagens que podem custar caro
Vantagens que podem custar caro (Foto: Shutterstock)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Luciane Macedo _247 - Cartões de loja apresentados ao consumidor como gratuitos podem esconder custos embutidos em outras taxas, além de salgados juros no rotativo, que podem chegar a 621% ao ano, mais do que o cobrado por alguns cartões de crédito. É o que constatou a Proteste Associação de Consumidores em pesquisa com cartões de supermercados e postos de combustível ofertados ao consumidor como livres de custos (veja abaixo).

É a quinta vez que a Proteste avalia cartões de loja, e a orientação ao consumidor continua a mesma: o melhor é ficar longe deles. Ao não divulgar claramente as taxas que estão por trás da adesão e os custos de manutenção destes cartões, os estabelecimentos violam o Código de Defesa do Consumidor, justifica a associação.

Entre as vantagens ofertadas por este tipo de cartão, conhecido como private label, o que o consumidor mais busca são as facilidades de pagamento, aponta a Proteste. Mas a pesquisa constatou, também, que nem sempre isso acontece na prática.

O consumidor pensa que está fazendo um bom negócio, que poderá pagar as compras em 12 vezes sem juros ou usufruir de descontos, sem taxa de adesão ou anuidade ao aderir ao cartão. No entanto, muitas vezes vai descobrir, só na boca do caixa, que o parcelamento sem juros fica a critério da loja ou que os descontos não representam uma economia ao bolso que compense face aos custos embutidos do cartão.

Diante desta realidade, antes de se deixar seduzir pelas vantagens, é preciso que o consumidor fique atento e avalie se realmente vale a pena ter um cartão de loja, que pode acabar virando uma fonte adicional de contas a pagar, ou se não seria melhor usar o bom e velho cartão de crédito.

A Proteste informa que, já em sua primeira pesquisa com cartões private label, denunciou os abusos aos Ministérios Públicos dos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia. Mas não houve mudanças que favorecessem os consumidores.

Clique na imagem para ampliá-la.

Fique atento
É sem custos e sem juros mesmo?
Veja que perguntas fazer e como avaliar se vale a pena ter um cartão de loja

Cartão gratuito
Se é gratuito e sem anuidade, tem taxa de manutenção de conta ou alguma outra taxa?

Parcelamento em 12 vezes sem juros
O parcelamento sem juros se aplica a todas as compras ou fica a critério da loja, sujeito a análise, ou só vale sob certas condições -- como o valor da compra?

Parcelamento em até 24 vezes
Quais os juros que incidem sobre esse parcelamento?

Isenção de anuidade para gasto mensal superior a "x"
Quanto é a anuidade se o gasto for inferior a "x"?

Limite de crédito diferenciado para compras à vista ou a prazo
"Diferenciado" como? Tem desconto à vista? E quanto custa parcelar a compra?

Custo versus benefícios
- As ofertas e descontos oferecidos aos clientes com cartão são mínimos e só em alguns produtos ou representam uma economia no bolso que realmente vale a pena?
- O valor economizado nas compras é superior ao que se gasta com anuidade e/ou outras taxas do cartão?
- E, é claro, lembre-se sempre de perguntar qual a taxa de juros no rotativo, que pode até ser mais cara que a cobrada por um cartão de crédito

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email