Vereador aciona Suape por ataque de tubarão

O vereador do Recife Raul Jungmann (PPS) irá acionar o Ministério Público Estadual (MPPE) visando a indenização das vítimas dos ataques de tubarão no Grande Recife; o  parlamentar quer, ainda, que o Porto de Suape destine parte de sua receita para a criação de um fundo para financiar pesquisas e soluções visando a redução dos riscos de incidentes do gênero nas praias da Região Metropolitana do Recife; ao mesmo tempo, o Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões (Cemit) , informou que não irá interditar trechos do litoral considerados áreas de risco

Vereador aciona Suape por ataque de tubarão
Vereador aciona Suape por ataque de tubarão
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Leonardo Lucena e Paulo Emílio_PE247 – O vereador do Recife Raul Jungmann (PPS) terá um encontro nesta terça-feira (30), às 16h30, com o promotor do Ministério Público Estadual (MPPE) Ricardo Coelho. O assunto: um pedido de indenização para as vítimas dos ataques de tubarão no Grande Recife, desde 1992, bem como para as famílias daquelas que morreram em virtude de incidentes do gênero sejam indenizadas. O parlamentar quer, ainda, que o Porto de Suape destine uma parte de sua receita para a criação de um fundo para financiar pesquisas e soluções visando à redução dos riscos de ataques de tubarão nas praias da Região Metropolitana do Recife. Ao mesmo tempo, o Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões (Cemit) , informou, através de nota oficial, que não vai atender à recomendação do MPPE para interditar trechos do litoral considerados áreas de risco.

“Em vez de protocolar apenas (o inquérito), eu marquei uma audiência para expor esse requerimento pedindo a abertura de um inquérito civil público para obrigar Suape a criar um fundo para implantar soluções que minimizem os riscos (dos ataques de tubarões)”, declarou o parlamentar. De acordo com Jungmann, a indenização deve contemplar, também, as famílias das vítimas que morreram – 24 dos 59 ataques no litoral do Grande Recife, desde 1992, resultaram em mortes. No entanto, o vereador disse que a decisão compete à Justiça. “Não tenho dúvida de que essa será a medida mais polêmica”, acrescentou.

Procurando demonstrar a repercussão negativa do último ataque, ocorrido no dia 22 deste mês e que provocou a morte da turista Bruna da Silva Gobbi, na Praia de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, Jungmann afirmou que o incidente teve uma considerável repercussão negativa mundial sobre a capital pernambucana. O vereador falou sobre o vídeo divulgado na mídia e nas redes sociais que mostra o momento exato do ataque.

“Só na Internet, foram mais de dois milhões e meio de acessos, sem falar naquelas (pessoas) que assistiram ao fantástico, à CNN... Isso é um prejuízo enorme para o Recife. Suape tem que arcar com isso”, disparou o pós-comunista. “Passados 20 anos, você não tem uma estratégia efetiva de minimização dos riscos de acidentes (de tubarões). Isso é muito prejudicial para todos nós, enquanto que Suape não tem responsabilidade alguma”, disparou.

Na semana passada, o MPPE recomendou ao Governo do Estado a interdição de alguns trechos das praias do Grande Recife, até que sejam tomadas as devidas providências para minimizar os riscos de ataques dos tubarões. O promotor Ricardo Coelho afirmou que a posição do vereador Raul Jungmann converge com a do Ministério Público no sentido de pedir ao Executivo estadual a implementação de medidas para proteger os banhistas.

“Já existe um trabalho neste sentido desenvolvido pelo Ministério Público, que está na iminência de chegar a uma solução”, disse Coelho “A posição do vereador vem se alinhar ao nosso pensamento. Vejo com muito bons olhos porque se trata de um reforço ao nosso trabalho vindo de uma autoridade respeitada”, complementou.

Através de uma nota oficial, o Cemit informou que as recomendações sugeridas pelo MPPE “deixam a desejar quanto ao embasamento técnico, são de difícil operacionalidade, têm eficácia contestável e causam considerável impacto ambiental". O órgão também se colocou à disposição do MPPE para expor os resultados dos últimos nove anos e que, conforme o texto, “são considerados altamente adequados para a mitigação da problemática de incidentes com tubarões".

Também através de nota, o Complexo Industrial e Portuário de Suape informou que “não se manifestará sobre assunto colocado ao Ministério Público de Pernambuco até que haja uma resposta conclusiva do órgão."

 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247