Vereador aponta ressalvas ao projeto de reforma da Praça do Trabalhador

Thiago Albernaz (PSDB) afirma que projeto deixou de levar em conta pontos importantes para os feirantes, como manter a mesma quantidade de bancas e o tamanho delas; "Da forma como está, não será aceito pelo povo. Essa é uma primeira versão do projeto e entendo que agora precisamos discutir a proposta com a população e a Câmara é local apropriado para esse debate", disse; principal polêmica do projeto gira em torno da construção de um estacionamento que funcionaria no local durante a semana e seria administrado por uma empresa privada

Thiago Albernaz (PSDB) afirma que projeto deixou de levar em conta pontos importantes para os feirantes, como manter a mesma quantidade de bancas e o tamanho delas; "Da forma como está, não será aceito pelo povo. Essa é uma primeira versão do projeto e entendo que agora precisamos discutir a proposta com a população e a Câmara é local apropriado para esse debate", disse; principal polêmica do projeto gira em torno da construção de um estacionamento que funcionaria no local durante a semana e seria administrado por uma empresa privada
Thiago Albernaz (PSDB) afirma que projeto deixou de levar em conta pontos importantes para os feirantes, como manter a mesma quantidade de bancas e o tamanho delas; "Da forma como está, não será aceito pelo povo. Essa é uma primeira versão do projeto e entendo que agora precisamos discutir a proposta com a população e a Câmara é local apropriado para esse debate", disse; principal polêmica do projeto gira em torno da construção de um estacionamento que funcionaria no local durante a semana e seria administrado por uma empresa privada (Foto: Realle Palazzo-Martini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás 247 - O projeto de revitalização da Praça do Trabalhador foi apresentado pelo arquiteto Jesus Cheregati terça-feira (27) aos vereadores no plenário da Câmara Municipal de Goiânia. A principal polêmica do projeto gira em torno da construção de um estacionamento que funcionaria no local durante a semana e seria administrado por uma empresa privada.

De acordo com a explicação de Cheregati, em relação à Feira Hippie, a quantidade de bancas seria menor do que a que existe hoje, o que causou descontentamento entre vereadores e feirantes. O projeto também prevê mais árvores na praça, piso drenante, reorganização das bancas, iluminação e banheiros fixos.

Para o vereador Thiago Albernaz (PSDB), o projeto, ainda que seja inicial, deixou de levar em conta pontos importantes para os feirantes, como manter a mesma quantidade de bancas e o tamanho delas. "O projeto é bom, mas precisa ser readaptado. Da forma como está, não será aceito pelo povo. Essa é uma primeira versão do projeto e entendo que agora precisamos discutir a proposta com a população e a Câmara é local apropriado para esse debate", disse Albernaz.

Em relação ao estacionamento, o vereador acredita que a administração deveria ficar sob responsabilidade da prefeitura e, assim, a renda revertida para necessidades da capital. "Existe em várias partes do mundo e dá muito certo. É uma ótima alternativa", afirmou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247