Vereadora denuncia assédio a mulheres dentro da Câmara

A vereadora Dra. Cristina (PSDB) exigiu uma providência imediata do presidente Andrey Azeredo (PMDB) sobre casos de assédio contra servidoras da Casa; Cristina denunciou que homens que trabalham na Câmara estão assediando servidoras de gabinetes durante os trabalhos em plenário; “Inadmissível que as mulheres sejam constrangidas. Homens estão se aproveitando da superlotação para esfregar em mulheres”, disse a vereadora

A vereadora Dra. Cristina (PSDB) exigiu uma providência imediata do presidente Andrey Azeredo (PMDB) sobre casos de assédio contra servidoras da Casa; Cristina denunciou que homens que trabalham na Câmara estão assediando servidoras de gabinetes durante os trabalhos em plenário; “Inadmissível que as mulheres sejam constrangidas. Homens estão se aproveitando da superlotação para esfregar em mulheres”, disse a vereadora
A vereadora Dra. Cristina (PSDB) exigiu uma providência imediata do presidente Andrey Azeredo (PMDB) sobre casos de assédio contra servidoras da Casa; Cristina denunciou que homens que trabalham na Câmara estão assediando servidoras de gabinetes durante os trabalhos em plenário; “Inadmissível que as mulheres sejam constrangidas. Homens estão se aproveitando da superlotação para esfregar em mulheres”, disse a vereadora (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás 247 - A vereadora Dra. Cristina (PSDB) exigiu uma providência imediata do presidente Andrey Azeredo (PMDB) sobre casos de assédio contra servidoras da Casa.

Cristina denunciou que homens que trabalham na Câmara estão assediando servidoras de gabinetes durante os trabalhos em plenário. “Inadmissível que as mulheres sejam constrangidas. Homens estão se aproveitando da superlotação para esfregar em mulheres”, disse a vereadora.

A vereadora afirmou que assessores ficam em pé, na porta do plenário, fazendo uma espécie de corredor e assim assediando as funcionárias que passam.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247