Vírus tinha como alvo Jogos de Pyeongchang, dizem companhias de tecnologia

O ataque derrubou o site da Olimpíada, o que fez com que algumas pessoas não pudessem imprimir seus ingressos, e o WiFi usado por repórteres que cobriam os Jogos não funcionou durante a cerimônia de abertura, de acordo com a Cisco.

Vírus tinha como alvo Jogos de Pyeongchang, dizem companhias de tecnologia
Vírus tinha como alvo Jogos de Pyeongchang, dizem companhias de tecnologia (Foto: s.d.)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(Reuters) - Diversas companhias norte-americanas de segurança cibernética informaram nesta segunda-feira que descobriram um vírus de computador chamado “Olympic Destroyer” (Destruidor Olímpico) que foi possivelmente usado em um ataque na sexta-feira na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang.

Organizadores dos Jogos confirmaram o ataque no domingo, dizendo que o vírus afetou serviços de internet e TV, mas que não comprometeu operações críticas. Organizadores não disseram quem estava por trás do ataque ou forneceram informações detalhadas sobre o malware, embora um porta-voz tenha dito que todos problemas foram resolvidos até o sábado.

Pesquisadores das companhias de segurança cibernética Cisco Systems Inc, CrowdStrike e FireEye Inc informaram em publicações em blogs e comunicados à Reuters nesta segunda-feira que haviam analisado códigos de computador que acreditam ter sido usado no ataque de sexta-feira.

Todas as três companhias de segurança informaram que o malware Olympic Destroyer foi projetado para deixar computadores off-line ao deletar arquivos de sistema importantes, o que deixaria as máquinas inúteis.

As três companhias disseram não saber quem está por trás do ataque.

“Perturbação é o objetivo claro neste tipo de ataque e nos dá confiança para pensar que os agentes por trás disto estavam buscando envergonhar o comitê olímpico durante a cerimônia de abertura”, informou a Cisco em seu blog.

O ataque derrubou o site da Olimpíada, o que fez com que algumas pessoas não pudessem imprimir seus ingressos, e o WiFi usado por repórteres que cobriam os Jogos não funcionou durante a cerimônia de abertura, de acordo com a Cisco.

Drones que seriam usados na apresentação falharam em levantar voo, fazendo com que organizadores usassem imagens pré-gravadas dos drones em transmissões televisivas globais. Não ficou imediatamente claro se o problema dos drones foi causado pelo ataque cibernético.

Reportagem de Jim Finkle, em Toronto

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247