Wagner diz que não recebe pensão de ex-governador

Em nota nesta quarta-feira, o secretário de Desenvolvimento Econômico da Bahia, Jaques Wagner, negou suposto recebimento de pensão como ex-governador do Estado; assessoria diz que ele repudia 'ação inconsistente da ASPRA (Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia) que levou a Justiça a erro, ao deferir suspensão de benefício ele não recebe, nem sequer requisitou, benefícios, proventos ou qualquer vantagem dessa natureza oriunda da sua condição de ex-governador'

Em nota nesta quarta-feira, o secretário de Desenvolvimento Econômico da Bahia, Jaques Wagner, negou suposto recebimento de pensão como ex-governador do Estado; assessoria diz que ele repudia 'ação inconsistente da ASPRA (Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia) que levou a Justiça a erro, ao deferir suspensão de benefício ele não recebe, nem sequer requisitou, benefícios, proventos ou qualquer vantagem dessa natureza oriunda da sua condição de ex-governador'
Em nota nesta quarta-feira, o secretário de Desenvolvimento Econômico da Bahia, Jaques Wagner, negou suposto recebimento de pensão como ex-governador do Estado; assessoria diz que ele repudia 'ação inconsistente da ASPRA (Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia) que levou a Justiça a erro, ao deferir suspensão de benefício ele não recebe, nem sequer requisitou, benefícios, proventos ou qualquer vantagem dessa natureza oriunda da sua condição de ex-governador' (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - Em nota nesta quarta-feira, o secretário de Desenvolvimento Econômico da Bahia, Jaques Wagner, negou suposto recebimento de pensão como ex-governador do Estado. 

Assessoria diz que Wagner repudia 'ação inconsistente da ASPRA (Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia) que levou a Justiça a erro, ao deferir suspensão de benefício ele não recebe, nem sequer requisitou, benefícios, proventos ou qualquer vantagem dessa natureza oriunda da sua condição de ex-governador'. 

A ASPRA era presidida pelo deputado estadual Soldado Prisco, do PSDB, que liderou a greve da Polícia Militar em 2012, no governo de Jaques Wagner. O tucano foi preso em 2014, quando era vereador de Salvador.

A greve durou dois dias e deixou o saldo de 59 homicídios em Salvador e região metropolitana, 156 carros roubados e seis furtados. Prisco continua comandando a ASPRA nos bastidores. 

O Tribunal de Justiça da Bahia determinou nesta quarta-feira a suspensão dos efeitos da proposta de emenda à Constituição do Estado da Bahia (PEC) que concede pensão especial vitalícia aos ex-governadores.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247