CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Geral

Wagner tenta convencer Campos a desistir de 2014

Não se sabe se é estratégia também, mas Jaques Wagner admitiu pela primeira vez a possibilidade de o PT abrir mão de lançar candidato à sua sucessão para apoiar um nome da base e citou para tal, coincidentemente ou não, a senadora Lídice da Mata, do PSB de Eduardo Campos; "Já foi prefeita da capital, é senadora e tem musculatura eleitoral"; a senadora, por sua vez, condiciona sua candidatura à de Eduardo à presidência

Wagner tenta convencer Campos a desistir de 2014
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Bahia 247

A tentativa do governador Jaques Wagner (PT) de convencer o colega comandante do Executivo de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), de desistir da disputa pela presidência da República em 2014 não ficou apenas no discurso que ele fez no seminário Diálogos Capitais – Nordeste, em Recife, na segunda-feira (25).

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Nota da coluna Painel, da Folha de São Paulo, nesta quarta-feira (27), afirma que Wagner se reuniu com Campos por longas horas "em um jantar que varou a madrugada" na capital pernambucana.

Coordenador da campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff no Nordeste no ano que vem, o governador da Bahia tem como uma das principais missões no período pré-eleitoral exatamente tirar da cabeça do socialista a ideia de bater chapa com o PT.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Em palestra no seminário, Wagner sugeriu a Eduardo Campos, indiretamente, que em 2018 ele pode ser o cabeça de chapa da base governista.

"Posso falar que em 2018 a gente vai inteirar 16 anos de governo, de um projeto político que tem aliados sem os quais a gente não teria andado e que tem o PT na condução, mas que não obrigatoriamente tem que ter o PT na condução. Isso é uma construção que se faz, mas que passa pelo segundo governo da presidente Dilma (Rousseff), e não por esse".

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Não se sabe se é estratégia também, mas Jaques Wagner admitiu pela primeira vez a possibilidade de o PT abrir mão de lançar candidato a governador no ano que vem para apoiar um nome da base e citou para tal, coincidentemente ou não, a senadora Lídice da Mata, do PSB.

"Já foi prefeita da capital, é senadora e tem musculatura eleitoral". A senadora, por sua vez, condiciona sua candidatura à de Eduardo à presidência.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Apesar da insistência e da oferta, por ora, Eduardo Campos não está disposto a seguir os conselhos do amigo governador da Bahia.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247,apoie por Pix,inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Carregando os comentários...
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO