Zombado por Bolsonaro, Guaraná Jesus foi criado por comunista

O inventor do Guaraná Jesus foi o farmacêutico Jesus Norberto Gomes era comunista, além de ateu, patrono das artes e louco por carnaval. A história de Jesus, aliás, vai virar filme

Jesus Norberto Gomes e o Guaraná Jesus
Jesus Norberto Gomes e o Guaraná Jesus (Foto: Domínio Público)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Guaraná Jesus, zombado por Jair Bolsonaro em sua visita ao Maranhão na quinta-feira, 20, foi criado por um comunista ateu, Jesus Norberto Gomes, conforme noticiou o jornal O Globo.

“Jesus Norberto Gomes nasceu em Vitória do Mearim (MA), em 1891. Aos 14 anos, seguiu para São Luís em busca de trabalho. Arrumou emprego numa farmácia, onde uma de suas tarefas era anotar recados. Jesus era semianalfabeto e, para que ninguém descobrisse, decorava os recados e também as fórmulas dos remédios. Um médico que percebeu a inteligência de Jesus ensinou-o a ler e a escrever”, diz a reportagem sobre a biografia do fundador do refrigerante.

“Já dono da farmácia, Jesus importou da Alemanha uma máquina de água gaseificada e começou a produzir ‘gasosas’. Ateu, ele não permitia que seus funcionários repetissem a expressão ‘graças a Deus’, mas distribuía os lucros com os trabalhadores e já pagava 13º salário muito antes de virar lei”, continua.

“Apesar de nunca ter se filiado ao Partido Comunista, Jesus era de esquerda e chegou a ser preso após a Intentona Comunista, uma tentativa de insurreição revolucionária, capitaneada por aliados da União Soviética, que fracassou em 1935. Jesus também era um mecenas: dava dinheiro a artistas e era proprietário de um pequeno acervo de obras de arte. Faleceu em 1963, aos 72 anos. Em 2001, a Coca-Cola comprou a marca Guaraná Jesus”, conclui.

Bolsonaro faz piada homofóbica

Em visita ao Maranhão, na quinta-feira, 29, Jair Bolsonaro fez piada de tom homofóbico envolvendo maranhenses e o guaraná Jesus, um dos principais símbolos da cultura do estado.

Durante uma parada não programada no município de Bacabeira (MA), Bolsonaro experimentou a bebida — que é cor-de-rosa — e questionou, em meio a risos, se tinha virado "boiola".

"Agora eu virei boiola. Igual maranhense, é isso?", disse em tom irônico. "Guaraná cor-de-rosa do Maranhão aí, quem toma esse guaraná aqui vira maranhense", acrescentou.

Bolsonaro estava sem máscara e causou a aglomeração de pessoas no local, onde posou para fotos.

O governador Flávio Dino disse que Jair Bolsonaro agiu com a "habitual falta de educação e decoro" durante sua visita ao Maranhão e avisou que vai processá-lo. "E o mais grave: usou dinheiro público para propaganda política. Será processado", afirmou

Um filme sobre o inventor do refrigerante

Por outro lado, a produtora Fernanda Kalume, que está tocando um projeto para realizar um filme sobre a vida de Jesus Norberto, disse que “a declaração homofóbica de Bolsonaro deve servir para colocar ainda mais em evidência o pensamento progressista do inventor do Guaraná Jesus”.

“Bolsonaro é o contrário de Jesus. Ele não respeita os maranhenses. Para os maranhenses, o Guaraná Jesus é o leite materno. Os nordestinos espalhados por todo o Brasil, quando bebem essa bebida cor-de-rosa, lembram-se de casa”, disse Fernanda.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247