Alysson Mascaro: corremos o risco de sair do golpe sem sair do neoliberalismo

Filósofo avalia que a conciliação representada pela chapa Lula-Alckmin pode restaurar o processo político sem resolver os impasses econômicos

www.brasil247.com - Alysson Mascaro, Alckmin e Lula
Alysson Mascaro, Alckmin e Lula (Foto: Felipe Gonçalves / Ricardo Stuckert)


247 – O filósofo e jurista Alysson Mascaro, professor da Universidade de São Paulo, refletiu sobre o atual impasse político brasileiro e disse, em entrevista ao jornalista Leonardo Attuch, editor da TV 247, que o Brasil, com uma eventual vitória da chapa Lula-Alckmin, "corre o risco de sair do golpe de 2016 sem sair do neoliberalismo". Na opinião de Mascaro, a conciliação representada pela união entre o ex-presidente e o ex-governador de São Paulo pode gerar força para a retomada do ciclo político anterior a 2016, sem necessariamente resolver o desastre econômico produzido pelo golpe.

Mascaro lembra que o golpe de 2016 foi produto da união entre liberais e a extrema-direita para promover um choque neoliberal, com políticas de retirada de direitos e de desmonte do estado, e que é necessário gerar mobilização popular para empurrar um eventual futuro governo Lula na direção da transformação social necessária. Ele avalia que confiar no processo institucional é um erro, uma vez que as instituições, por sua natureza, existem para fazer prevalecer os interesses das classes dominantes.

Na entrevista, o professor também comentou as discussões recentes sobre nazismo na sociedade brasileira. "O capitalismo, um sistema baseado na exploração do homem pelo homem, é intrinsecamente fascista e potencialmente nazista", diz Mascaro. Ele afirma, no entanto, que a liberdade de expressão não comporta a discussão sobre a legalização de um eventual partido nazista – o que seria "intolerável".

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email