Ascensão do capitalismo rentista pode significar a morte da democracia liberal, alerta Guido Mantega

Em artigo, o ex-ministro e presidente do BNDES, mostra os riscos do sistema capitalista atual, baseado no rentismo e na precarização do trabalho

(Foto: WILSON DIAS/ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-ministro do governo Lula, Guido Mantega, acredita que o sistema capitalista atual, baseado no rentismo e na precarização do trabalho, pode levar à morte da democracia liberal. 

Em artigo publicado na Folha, Mantega diz que a precarização do trabalho sob o sistema atual leva à perda de direitos dos mais pobres, o que traz consequências negativas para a democracia.

Além disso, o ex-ministro apresenta um balanço negativo do crescimento econômico nos últimos anos: “No Brasil, caso se confirme a previsão de um PIB negativo de 5% neste ano, a economia do país terá ficado estagnada nesses dez anos, com crescimento anual de no máximo 0,2%. Não se trata só de mais uma década perdida, mas a de pior desempenho desde a que inaugurou o século passado, segundo o IBGE”, diz. 

Para ele, a estagnação se deve ao fim das políticas de bem-estar social: “Desde então, a cada década o investimento no mundo fica mais fraco —no Brasil caiu de 20,5% do PIB em 2014 para 15,4% em 2019”.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247