Jornalista demonstra como o discurso de ódio na internet está matando as democracias

Agressões, insultos e mentiras, instrumentos usados nas eleições de Trump e Bolsonaro, estão sendo incentivados pelas redes sociais. Confira na palestra de Andrew Marantz

Andrew Marantz
Andrew Marantz (Foto: Marla Aufmuth/TED | Reprodução)

247 – No momento em que a agressão de Danilo Gentili à atriz Bruna Marquezine se torna um dos temas mais comentados do carnaval no Brasil, vale a pena conhecer as ideias do jornalista Andrew Marantz, da revista New Yorker, que escreveu o livro Antisocial, sobre extremistas digitais. Nele, assim como numa palestra realizada para o TED, ele demonstra como pessoas que se sentiam excluídas encontraram abrigo nos discursos de ódio, no extremismo digital e nas fake news – fenômeno que ajudou a eleger populistas de direita como Donald Trump nos Estados Unidos e Jair Bolsonaro no Brasil. E ele também demonstra que os algoritmos das redes sociais, em vez de conter o fenômeno, na realidade incentivam esse tipo de comportamento, uma vez que os conteúdos virais são muito mais movidos pelas emoções do que propriamente pela razão. Confira:

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247