Amazônia tem a segunda pior temporada de alertas de desmatamento em cinco anos

De acordo com o Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), o acumulado de alertas de desmatamento em 2021 na Amazônia foi mais de 8,7 mil km²

(Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) informou nesta sexta-feira (6) que o acumulado de alertas de desmatamento em 2021 na Amazônia foi de 8.712 km². Foi a segunda pior temporada em cinco anos, faltando um dia para fechar o ciclo, que vai de agosto de um ano a julho do ano seguinte (os números disponíveis vão até o dia 30 de julho).

A área da floresta representa mais de cinco vezes o tamanho da cidade de São Paulo. Entre agosto de 2019 e julho de 2020, esse número tinha ficado em 9.216 km². As informações foram publicadas pelo portal G1

De acordo com o Observatório do Clima, "os três recordes da série foram batidos no governo Bolsonaro, no qual os alertas são 69,8% maiores que a média dos anos anteriores". "O resultado indica que o desmatamento anual deverá, pela terceira vez, ficar próximo de 10 mil km², o que não ocorria desde 2008", alertou.

PUBLICIDADE

"Seguimos em níveis altíssimos de desmatamento na Amazônia", afirma o diretor-executivo do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM), André Guimarães. "Estamos em um momento crucial para o equilíbrio climático do planeta, e manter as florestas é a principal contribuição que o Brasil pode dar neste momento a esse desafio global", acrescentou.

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email