CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Meio Ambiente

Em 9 comunidades ianomâmi, 94% dos indígenas têm alto nível de contaminação por mercúrio

Localizado no Amazonas e em Roraima, o território abriga 31 mil indígenas em 370 comunidades

Imagem Thumbnail
Indígenas ianomamis em Alto Alegre (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - Um estudo da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e do Instituto Socioambiental (ISA), divulgado nesta quinta-feira (4), apontou que índios de nove comunidades da Terra Ianomâmi têm alto nível de contaminação por mercúrio. De acordo com a pesquisa, 94% dos indígenas que participaram do levantamento estão contaminados pelo metal pesado.

Localizado no Amazonas e em Roraima, o território abriga 31 mil indígenas em 370 comunidades. O povo ianomâmi é dividido em seis subgrupos de línguas da mesma família, designados como: Yanomam, Ianomâmɨ, Sanöma, Ninam, Ỹaroamë e Yãnoma.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Foram coletadas amostras de cabelo de 287 indígenas do subgrupo Ninam, do povo ianomâmi. As comunidades que participaram da pesquisa ficam às margens do Rio Mucajaí, um dos mais impactos pelo garimpo ilegal na Terra Yanomami.

Em 84% das 287 amostras de cabelo examinadas, os níveis de contaminação por mercúrio acima de 2,0 μg/g (micrograma). Outros 10,8% ficaram acima de 6,0 μg/g. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), os níveis de mercúrio em cabelo não devem ultrapassar 1 micrograma por grama.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

Relacionados

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO