A própria Folha divulgou, em 2006, consórcio que restaurou Alvorada

Matéria publicada dez anos atrás pelo mesmo jornal esclarece o episódio divulgado ontem como denúncia; à época, o então presidente Lula pediu a ajuda de 20 empresas para restaurar o Palácio do Alvorada, reforma que custou R$ 18,4 milhões; a Odebrecht sequer foi citada; "Nada houve de ilegal. Restauração de patrimônio público por empresas privadas, com o processo devido, tem até benefício, incentivo fiscal. Nesses casos, nem isso houve", comentou o jornalista e escritor Luiz Fernando Emediato

Matéria publicada dez anos atrás pelo mesmo jornal esclarece o episódio divulgado ontem como denúncia; à época, o então presidente Lula pediu a ajuda de 20 empresas para restaurar o Palácio do Alvorada, reforma que custou R$ 18,4 milhões; a Odebrecht sequer foi citada; "Nada houve de ilegal. Restauração de patrimônio público por empresas privadas, com o processo devido, tem até benefício, incentivo fiscal. Nesses casos, nem isso houve", comentou o jornalista e escritor Luiz Fernando Emediato
Matéria publicada dez anos atrás pelo mesmo jornal esclarece o episódio divulgado ontem como denúncia; à época, o então presidente Lula pediu a ajuda de 20 empresas para restaurar o Palácio do Alvorada, reforma que custou R$ 18,4 milhões; a Odebrecht sequer foi citada; "Nada houve de ilegal. Restauração de patrimônio público por empresas privadas, com o processo devido, tem até benefício, incentivo fiscal. Nesses casos, nem isso houve", comentou o jornalista e escritor Luiz Fernando Emediato (Foto: Gisele Federicce)

247 - Reportagem publicada em 2006 pela Folha de S.Paulo esclarece um episódio divulgado ontem na capa do jornal como uma denúncia contra o ex-presidente Lula.

Há dez anos, o então presidente Lula pediu a ajuda de 20 empresas para restaurar o Palácio do Alvorada, um patrimônio público, em uma reforma que custou R$ 18,4 milhões dos empresários, noticiou a Folha.

A Odebrecht, que agora é citada como empreiteira que "beneficiou" Lula ao reformar a piscina, parte que ficou responsável na reforma, sequer foi citada na matéria de dez anos atrás.

"Nada houve de ilegal. Restauração de patrimônio público por empresas privadas, com o processo devido, tem até benefício, incentivo fiscal. Nesses casos, nem isso houve", comentou o jornalista e escritor Luiz Fernando Emediato, ao compartilhar a matéria em seu Facebook.

"E agora, como fica a 'investigação' da Polícia Federal de que Lula se 'beneficiou' com o conserto da piscina do Alvorada pela Odebrecht?", questiona Emediato (leia aqui seu texto).

Conheça a TV 247

Mais de Mídia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247