Ação contra reitor atual da UFSC cai nas mãos da mesma juíza do caso Cancellier

A perseguição na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) parece não tem fim; a ação penal contra o atual reitor, Ubaldo Cesar Balthazar, e o seu chefe de gabinete, Aureo Mafra de Moraes, foi distribuída, “por dependência”, à juíza Janaína Cassol Machado, da 1ª Vara Criminal Federal de Florianópolis, a mesma juíza que liderou a violência judicial que levou o reitor Luiz Carlos Cancellier ao suicídio; o reitor e chefe de gabinete são acusados pelo procurador da República Marco Aurélio Dutra Aydos pelo crime de injúria contra a delegada federal Erika Mialik Marena

Ação contra reitor atual da UFSC cai nas mãos da mesma juíza do caso Cancellier
Ação contra reitor atual da UFSC cai nas mãos da mesma juíza do caso Cancellier

247- A perseguição na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) parece não tem fim. A ação penal contra o atual reitor, Ubaldo Cesar Balthazar, e o seu chefe de gabinete, Aureo Mafra de Moraes, foi distribuída, “por dependência”, à juíza Janaína Cassol Machado, da 1ª Vara Criminal Federal de Florianópolis, a mesma juíza que liderou a violência judicial que levou o reitor Luiz Carlos Cancellier ao suicídio. O reitor e chefe de gabinete são acusados pelo procurador da República Marco Aurélio Dutra Aydos pelo crime de injúria contra a delegada federal Erika Mialik Marena. 

O jornalista Marcelo Auler, em  seu blog, ainda destaca que "o processo que busca condenar o reitor e o chefe de gabinete da universidade por não terem impedido uma manifestação crítica aos 'agentes públicos que praticaram abuso de poder contra a UFSC e que levou ao suicídio do reitor' (como consta da faixa que gerou a ação penal), acabou nas mãos de uma das criticadas na mesma faixa. Janaína foi responsável pela prisão do ex-reitor Luiz Carlos Cancellier que, sentindo-se humilhado, suicidou-se."

Auler acrescenta: "a cobrança dos manifestantes na cerimônia no hall da reitoria, em 18 de dezembro passado – 'pela apuração e punição dos envolvidos e reparação dos malfeitos' -, não se relacionou apenas à delegada federal que conduziu a operação Ouvidos Moucos. Atingiu também a juíza Janaína e o procurador da República André Stefani Bertuol, que atuam no caso. As fotos dos dois estavam ao lado da de Érika, como mostra a reprodução ao lado."

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247