Acusação de que Rússia roubou vacina britânica é exemplo de desinformação, diz jornalista da Sputnik

A jornalista Tatiana Kukhareva, uma das mais importantes editoras da Sputnik, agência de notícias russa, comentou em entrevista ao jornalista uma Brian Mier na TV 247 sobre a onda de acusações de potências ocidentais ao governo de Vladimir Putin. Ela refutou a tese de que a Rússia roubou dados sobre a vacina britânica

Tatiana Kukhareva e imagem de vacina da covid-19
Tatiana Kukhareva e imagem de vacina da covid-19 (Foto: Reprodução | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em entrevista ao correspondente internacional Brian Mier na TV 247, a jornalista Tatiana Kukhareva, da agência noticiosa Sputnik, refutou as acusações da mídia ocidental à Rússia, que refletem as opiniões de governos e das elites.

Kukhareva disse que a cobertura da mídia ocidental a respeito da Rússia é distorcida e leva à desinformação. "É muito fácil culpar a Rússia por qualquer problema. Isto se tornou uma tendência 'popular' nos Estados Unidos". 

A jornalista disse que o maior exemplo de desinformação da atualidade é a acusação do Reino Unido de que a Rússia está tentando roubar sua vacina.  

Kukhareva disse que a Rússia lidou bem com a pandemia, contrariamente ao que fizeram países como os EUA e o Reino Unido. Testamos as pessoas desde o início, não agimos como o Reino Unido, que no início da pandemia, ao invés de testar, buscou criar a imunidade de rebanho, afirmou. 

A editora da Sputnik disse que a Rússia não precisa roubar informações, pois foi o primeiro país a começar a desenvolver a vacina. E informou que duas vacinas da Rússia já passaram em testes com humanos, entre várias que estão sendo testadas. Segundo ela, a acusação de roubo se deve ao medo de que a vacina russa seja mais eficaz. 

Tatiana Kukhareva faz parte da equipe dirigente da Sputnik, um serviço global de notícias que divulga informações sobre a Rússia, em contraste com notícias falsas e comentários hostis no ocidente. 

Os sites de notícias da agência operam em mais de 30 idiomas, incluindo português. 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247