Amanda Ramalho: é preciso falar sobre suicídio, mas do jeito certo

Responsável pelo podcast Esquizofrenoias, a jornalista Amanda Ramalho, ex-Pânico, fala à TV 247 sem censura ou tabus sobre saúde mental, depressão e temas espinhosos como suicídio

Amanda Ramalho
Amanda Ramalho (Foto: Divulgação)

247 - Falar sobre suicídio aumenta o número de casos de tentativa ou é importante falar sobre o tema como forma de prevenção? Para a jornalista Amanda Ramalho, umas das principais produtoras de conteúdo sobre saúde mental no país, o podcast Esquizofrenoias, falar sobre suicídio é fundamental. Mas do jeito certo.

Em entrevista ao jornalista William De Lucca, na TV 247, Amanda disse que recebeu a psiquiatra Karen Scavacini, do Instituto Vita Alere, que é especializado em suicidologia, e que esta destacou a importância de tratar o suicídio sem tabus.

"O primeiro erro é falar que alguém cometeu suicídio, porque dá ênfase positiva em uma ação negativa. O ideal é falar que as pessoas foram vítimas de suicídio", esclarece a comunicadora.

Ela também reforça que existem cartilhas e guias para professores, jornalistas e outros profissionais sobre como tratar o tema. "Tem de ser falado sim, as pessoas precisam ser informadas. Não podemos negar a existência de um problema que tem se tornado cada vez mais comum", explica.

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista na íntegra:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247