Após assassinato, internautas pregam boicote a marcas do Carrefour, como Atacadão

Internautas foram às redes sociais pedir boicote ao Carrefour, após o assassinato de João Alberto Freitas em Porto Alegre (RS). Ele, que era negro, foi vítima de espancamento

João Alberto Silveira Freitas dá quase uma cambalhota enquanto estava sendo espancado por seguranças em Porto Alegre
João Alberto Silveira Freitas dá quase uma cambalhota enquanto estava sendo espancado por seguranças em Porto Alegre (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Internautas foram às redes sociais pedir boicote ao Carrefour, após o assassinato de João Alberto Freitas, homem negro ser espancado até a morte em uma unidade da empresa em Porto Alegre (RS), na noite dessa quinta-feira (19).

Várias lideranças repudiaram o caso. "Eu quero saber se a vida de um homem negro vale menos do que a vida de um cachorro", disse o ativista André Constantine (veja aqui).

O ativista Douglas Belchior chamou o Carrefour de "assassino" (leia aqui).

 

 

 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247