Aras defende que Bolsonaro censure jornalistas em seu twitter oficial

Em parecer, o procurador-geral da República, Augusto Aras, defendeu a tese de que Jair Bolsonaro tem o direito de bloquear jornalistas em suas redes sociais; a ação foi proposta pelo jornalista William de Lucca

(Foto: 247 | ABr | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da revista Fórum – Graças ao procurador-geral da República, Augusto Aras, o jornalista William de Lucca continuará bloqueado no Twitter do presidente Jair Bolsonaro. O chefe do Ministério Público Federal enviou parecer ao Supremo Tribunal Federal no qual decidiu pelo não conhecimento de mandado de segurança apresentado de Lucca contra Bolsonaro.

O jornalista pede que a Justiça determine que Bolsonaro permita o acesso à sua página no Twitter. Aras considera que deve ser conferido ao presidente o direito, como é garantido a qualquer outro cidadão, autoridade pública ou não, de administrar suas plataformas, permitindo ou recusando seguidores. “O princípio da publicidade não pode ser interpretado de forma tão ampla que inclua em seu âmbito de incidência as condutas praticadas pelos agentes públicos em suas redes sociais pessoais”, afirmou em sua decisão.

Leia a íntegra na Fórum

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247