Aroeira ironiza silêncio de Moro

Em charge intitulada "Enquanto isso, no condominío da Justiça...", Aroeira, do Jornalistas pela Democracia, criticou o silêncio do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, sobre a proximidade da família do presidente Jair Bolsonaro com milícias do Rio; a Polícia fluminense prendeu os dois suspeitos de terem assassinado a ex-vereadora Marielle Franco (PSOL); um deles é o policial militar reformado Ronnie Lessa, acusado de ter feito os disparos e que morava no mesmo condomínio do chefe do Planalto

Aroeira ironiza silêncio de Moro
Aroeira ironiza silêncio de Moro

247 - O chargista Aroeira, do Jornalistas pela Democracia, criticou o silêncio do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, sobre a proximidade da família do presidente Jair Bolsonaro com milícias do Rio de Janeiro.

A Polícia do Rio prendeu na manhã desta terça-feira (12) os dois suspeitos de terem assassinado a ex-vereadora Marielle Franco (PSOL) e o seu motorista Anderson Gomes: o policial militar reformado Ronnie Lessa, acusado de ter feito os disparos, e o ex-militar Élcio Vieira de Queiroz, que dirigia o carro que perseguiu Marielle.

Também vale ressaltar que, em janeiro, foram presos milicianos acusados de exploração imobiliária ilegal em Rio das Pedras, zona oeste da cidade do Rio. A mãe de um deles - ex-capitão do Bope Adriano Magalhães da Nóbrega - trabalhou no gabinete do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) quando o parlamentar era deputado estadual.

Nóbrega é apontado pelo Ministério Público (MP-RJ) como o chefe do chamado Escritório do Crime, braço armado do grupo e que também é suspeito de envolvimento na morte de Marielle.

O filho do presidente Jair Bolsonaro fez homenagens ao ex-capitão.

Conheça a TV 247

Mais de Mídia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247