Atentado de Veja a leva ao trending topic global

Tentativa criminosa de interferir nas eleições presidenciais, com a denúncia sem provas antecipada para a noite de ontem, produziu efeito inverso ao desejado pela família Civita; em vez de gerar uma onda de indignação pelo País, produziu centenas de paródias que se espalham pela internet; numa das "capas", Cebolinha confessa ter recebido dinheiro do PT para roubar o coelhinho da Mônica; hashtag #DesesperodaVeja chegou a figurar entre os "trending topic" globais, ou seja, os assuntos mais comentados no Twitter no mundo; atentado democrático cometido por Veja arrasta o que restava de sua reputação para a lama e não mexeu nos resultados eleitorais; ao contrário

www.brasil247.com - Tentativa criminosa de interferir nas eleições presidenciais, com a denúncia sem provas antecipada para a noite de ontem, produziu efeito inverso ao desejado pela família Civita; em vez de gerar uma onda de indignação pelo País, produziu centenas de paródias que se espalham pela internet; numa das "capas", Cebolinha confessa ter recebido dinheiro do PT para roubar o coelhinho da Mônica; hashtag #DesesperodaVeja chegou a figurar entre os "trending topic" globais, ou seja, os assuntos mais comentados no Twitter no mundo; atentado democrático cometido por Veja arrasta o que restava de sua reputação para a lama e não mexeu nos resultados eleitorais; ao contrário
Tentativa criminosa de interferir nas eleições presidenciais, com a denúncia sem provas antecipada para a noite de ontem, produziu efeito inverso ao desejado pela família Civita; em vez de gerar uma onda de indignação pelo País, produziu centenas de paródias que se espalham pela internet; numa das "capas", Cebolinha confessa ter recebido dinheiro do PT para roubar o coelhinho da Mônica; hashtag #DesesperodaVeja chegou a figurar entre os "trending topic" globais, ou seja, os assuntos mais comentados no Twitter no mundo; atentado democrático cometido por Veja arrasta o que restava de sua reputação para a lama e não mexeu nos resultados eleitorais; ao contrário (Foto: Leonardo Attuch)


247 - A revista Veja, controlada pela família Civita, bem que tentou se sobrepor à vontade popular com uma das mais abjetas peças jornalísticas já produzidas na história do jornalismo brasileiro. A 72 horas de uma eleição presidencial, como se sabe, publicou uma denúncia contra a presidente Dilma Rousseff que a própria revista admitiu não conter provas (leia mais aqui).

Veja pretendia provocar uma onda de indignação no País e uma peça que se espalhasse pelas redes sociais como um vírus. A ideia era "viralizar" – para utilizar uma palavra em voga no marketing político.

No entanto, deu-se o efeito inverso. Internautas produziram centenas de paródias sobre a revista, que podem ser encontradas aqui. Numa delas, por exemplo, Cebolinha, personagem de Maurício de Souza, afirma que recebeu dinheiro do PT para roubar o coelhinho da Mônica.

Veja conseguiu ainda entrar para o rol dos assuntos mais comentados no mundo. Mas não como esperava. Entrou para os "trending topics" do Twitter com a hashtag #DesesperodaVeja.

Criminosa, antidemocrática e leviana, Veja virou piada. Arrastou para a lama o que restava de sua credibilidade. E não conseguiu nem sequer ser repercutida por veículos da chamada "grande imprensa", como os jornais Folha de S. Paulo, Estado de S. Paulo e Globo, que trataram a "bala de prata" da Marginal Pinheiros com o devido distanciamento.

Até porque Veja cometeu mais do que um simples crime. Atentou contra a democracia brasileira.

PS: Veja não conseguiu alterar os resultados eleitorais. Os trackings das campanhas confirmam os resultados das pesquisas Ibope e Datafolha.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email