Reinaldo chama procuradores de 'idiotas' e diz que sempre souberam que não havia provas para condenar Lula

O jornalista Reinaldo Azevedo escreveu neste domingo (30) que a reportagem publicada pela Folha de S.Paulo em parceira com o Intercept Brasil "evidencia que os procuradores da Lava Jato sempre souberam que não havia provas para condenar o ex-presidente Lula no caso do tríplex"; "Acabou a conversa mole, e está revelada a patranha", resume Azevedo, que diz que entrou na mira dos "idiotas"

Reinaldo Azevedo, bem-vindo ao deserto da realidade
Reinaldo Azevedo, bem-vindo ao deserto da realidade
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Reinaldo Azevedo escreveu neste domingo (30) que a reportagem publicada pela Folha de S.Paulo em parceira com o Intercept Brasil "evidencia que os procuradores da Lava Jato sempre souberam que não havia provas para condenar o ex-presidente Lula no caso do tríplex".

"Acabou a conversa mole, e está revelada a patranha", resume Azevedo.

"O assunto me é especialmente caro porque entrei na mira dos idiotas quando afirmei, tão logo Deltan Dallagnol apresentou a denúncia contra Lula, no dia 14 de setembro de 2016, que não havia provas. E fiz o mesmo quando o Moro expediu a sentença condenatória, em 12 de julho de 2017.

Se você ler a sentença de Moro que condenou Lula, não vai encontrar os fatos — NESSE CASO, TAMBÉM CHAMADOS DE PROVAS — que justificam a denúncia apresentada pelo MPF. E a culpa não será sua, leitor. Não se trata de um déficit de entendimento. É que as tais provas não foram apresentadas pelo MPF porque os procuradores não as tinham.

Se você pertencer à seita morista, a exemplo dos que vão "protestar a favor" (!?) do ex-juiz neste domingo, faça como o seu herói: dê de ombros, não ligue, olhe para o outro lado. Afinal, o doutor eternizou nos autos esta maravilha", escreve Reinaldo, que reproduz texto de Moro:

"Este juízo jamais afirmou, na sentença ou em lugar algum, que os valores obtidos pela Construtora OAS nos contratos com a Petrobras foram usados para pagamento da vantagem indevida para o ex-Presidente".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247