"Bolsolão do MEC" bomba nas redes após Milton Ribeiro admitir que favorece pastores

Internautas apontaram crime de responsabilidade de Jair Bolsonaro e cobraram da PGR investigação contra ele e contra o ministro Milton Ribeiro (Educação)

www.brasil247.com - Ministro Milton Ribeiro (Educação)
Ministro Milton Ribeiro (Educação) (Foto: © Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)


247 - Internautas foram nesta terça-feira (22) ao Twitter criticar o esquema de liberação de verbas para aliados de Jair Bolsonaro. Usuários apontaram crime de responsabilidade e cobraram do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e do procurador-geral da República, Augusto Aras, para que abram investigações. O "Bolsolão do MEC" está entre os assuntos mais comentados do Twitter.

Segundo gravações, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou que o governo prioriza, na liberação de verba, prefeituras com pedidos negociados por dois pastores (sem cargo na gestão federal).

A bancada evangélica avalia pedir ao governo a demissão do ministro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Confira algumas reações de internautas: 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Tudo pra COMPRAR VOTOS de evangélicos com dinheiro público!!", escreveu um internauta no Twitter. 

"BOLSOLÃO DO MEC acaba com bolsa de pesquisa pra mandar dinheiro pra político amigo de pastor e do centrão", disse outro perfil.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Arthur Lira e Augusto Aras vão fechar os olhos pro Bolsolão do MEC?", questionou o deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP).

Outra internauta escreveu: "é perturbador ver Bolsonaro cometendo mais um crime de responsabilidade, algo precisa ser feito!".

Outra pessoa escreveu: "quem vai passar um pano para o BOLSOLÃO DO MEC primeiro? Arthur Lira, Augusto Aras, Rodrigo Pacheco, TSE, STF, Mídia? Fora Bolsonaro Vagabundo".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"BOLSOLÃO DO MEC explica porque a assistência estudantil acabou", disse outro internauta. 

 

 

 

 

 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email