"Bolsolão do MEC" bomba nas redes após Milton Ribeiro admitir que favorece pastores

Internautas apontaram crime de responsabilidade de Jair Bolsonaro e cobraram da PGR investigação contra ele e contra o ministro Milton Ribeiro (Educação)

www.brasil247.com - Ministro Milton Ribeiro (Educação)
Ministro Milton Ribeiro (Educação) (Foto: © Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)


247 - Internautas foram nesta terça-feira (22) ao Twitter criticar o esquema de liberação de verbas para aliados de Jair Bolsonaro. Usuários apontaram crime de responsabilidade e cobraram do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e do procurador-geral da República, Augusto Aras, para que abram investigações. O "Bolsolão do MEC" está entre os assuntos mais comentados do Twitter.

Segundo gravações, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou que o governo prioriza, na liberação de verba, prefeituras com pedidos negociados por dois pastores (sem cargo na gestão federal).

A bancada evangélica avalia pedir ao governo a demissão do ministro.

Confira algumas reações de internautas: 

"Tudo pra COMPRAR VOTOS de evangélicos com dinheiro público!!", escreveu um internauta no Twitter. 

"BOLSOLÃO DO MEC acaba com bolsa de pesquisa pra mandar dinheiro pra político amigo de pastor e do centrão", disse outro perfil.

"Arthur Lira e Augusto Aras vão fechar os olhos pro Bolsolão do MEC?", questionou o deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP).

Outra internauta escreveu: "é perturbador ver Bolsonaro cometendo mais um crime de responsabilidade, algo precisa ser feito!".

Outra pessoa escreveu: "quem vai passar um pano para o BOLSOLÃO DO MEC primeiro? Arthur Lira, Augusto Aras, Rodrigo Pacheco, TSE, STF, Mídia? Fora Bolsonaro Vagabundo".

"BOLSOLÃO DO MEC explica porque a assistência estudantil acabou", disse outro internauta. 

 

 

 

 

 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email