Bolsonaro e Moro lançam campanha do "pacote anticrime" que estimula medo e ódio

Campanha publicitária que Bolsonaro e Moro lançam nesta quarta para o "pacote anticrime" tenta apresentar à sociedade um país à mercê de bandidos soltos. Mas o país, com 815 mil presos, tem a 3ª maior população carcerária do planeta

Jair Bolsonaro e ministro da Justiça, Sergio Moro
Jair Bolsonaro e ministro da Justiça, Sergio Moro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro lançará nesta quarta-feira (2) a campanha publicitária do "pacote anticrime" do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. Os filmes, de 30 segundos, serão exibidos nas TVs e na internet.  A campanha custou R$ 10 milhões, apontou reportagem do jornal O Globo.

O mote da campanha é espalhar uma sensaçãode insegurança no país, disseminando medo e ódio, como se o Brasil estivesse à mercê de bandidos perigosos à solta. No entanto,  com 815 mil presos, país tem a 3ª maior população carcerária do planeta 

Um dos pontos mais polêmicos do pacote é a tentativa de isentar de punição o policial que matar durante o serviço. No começo deste mês, o Fórum Brasileiro de Segurança Pública divlgou dados informando que letalidade policial no Brasil em 2018 aumentou 20,1%, com 6.220 casos, o que representa 17 assassinatos por dia. 

Em uma das peças, um homem relata que o pai foi assassinado. O criminoso permaneceria livre, segundo a publicidade. O projeto de Moro prevê que a pessoa comece a cumprir a pena logo depois de condenada, sem esperar pela apreciação de outras instâncias da Judiciário.

De acordo com informações da coluna de Mônica Bergamo, num outro filme, uma senhora conta como um preso que tinha cometido crime grave saiu da prisão em dias de visita a familiares e matou o marido dela. Segundo a proposta, detentos de alta periculosidade não devem ter direito a saídas temporárias.

A pacote anticrime voltou a ser alvo de duras críticas com a morte da menina Ágatha, de 8 anos, no último dia 20, durante operação policial no Complexo do Alemão (RJ). A criança estava dentro de uma kombi e foi atingida por uma bala perdida. 

Segundo a plataforma Fogo Cruzado, Ágatha foi a 16º criança vítima de violência armada neste ano na Região Metropolitana do Rio e a quinta que não resistiu aos ferimentos.



O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247